O arcebispo de São Paulo, dom Odilo Scherer, diz não ter sido consultado pelo Movimento Cívico pelo Direito dos Brasileiros, o “Cansei”, sobre o ato que o grupo pretende fazer dentro da Catedral da Sé na próxima sexta-feira.

“Não sou promotor deste evento, não fui consultado nem sei quem autorizou”, disse o arcebispo, surpreso quando indagado pela Folha a respeito do evento. Ele declarou que vai conversar com a direção da catedral paulistana e só depois voltará a falar sobre o assunto.

O movimento liderado pelo presidente da OAB-SP, Luiz Flávio Borges D’Urso, e por empresários fará às 13h um encontro com representantes de várias religiões para lembrar o aniversário de um mês do acidente com o avião da TAM.

O “Cansei” diz ser apartidário e nega se opor ao governo do presidente Lula. Ontem, D’Urso voltou a rebater as críticas contra o grupo. “O “Cansei” não é um movimento de elite, é um movimento que contempla todas as camadas da sociedade”, disse ele. “Para ser contra o Cansei, só quem for a favor da corrupção, da criminalidade.”

Segundo a assessoria da arquidiocese, a autorização para o uso da catedral foi dada pelo padre Pedro Fenech, responsável pela administração da igreja. O padre-cantor Antonio Maria deve representar a Igreja Católica no ato. Ele abençoou a união entre o jogador Ronaldo e a modelo Daniella Cicarelli, na França, em 2005.

Fonte: Folha de São Paulo