Juiz Marcelo Bretas e o Procurador Deltan Dallagnol
Juiz Marcelo Bretas e o Procurador Deltan Dallagnol

O procurador Deltan Dallagnol, coordenador da força-tarefa da Operação Lava Jato no Paraná, aproveitou o Domingo de Páscoa para incentivar a prática de um exercício espiritual muito popular durante a quaresma: o jejum.

Segundo ele, quarta-feira é o dia D da luta contra a corrupção na Operação Lava Jato, referindo-se ao julgamento do habeas corpus do ex-presidente Lula no Supremo Tribunal Federal (STF).

“Uma derrota significará que a maior parte dos corruptos de diferentes partidos, por todo país, jamais serão responsabilizados, na Lava Jato e além. O cenário não é bom. Estarei em jejum, oração e torcendo pelo país”, escreveu Dallagnol no Twitter.

O juiz Marcelo Bretas, que citou um versículo bíblico ao autorizar Operação Calicute, responsável por prender o ex-governador Sérgio Cabral, respondeu a convocação de Dallagnol no Twitter. Bretas também é evangélico, fiel da Comunidade Evangélica Internacional da Zona Sul, no Rio.

A troca de mensagens teve reações negativas por parte de alguns internautas, que criticaram a demonstração de parcialidade e as referências religiosas.

“Você é ridículo!! Jejum e oração para prisão de uma pessoa??? Isso já virou doença! O fascismo começa assim!”, comentou uma usuária.

“Sou católica! A minha fé independe do que acho que é correto em relação ao que está escrito na CF! Não se pode atropelar a lei a favor ou contra os meus adversários! O ativismo judicial está levando o Brasil para o buraco!”, disse outra internauta.

Outra usuária chegou a citar um versículo bíblico fora de contexto para chamar Deltan Dallagnol de “fariseu”.

“Precisa vir no twitter contar q tá em jejum, fariseu? ‘E, quando jejuardes, não vos mostreis contristados como os hipócritas; porque desfiguram os seus rostos, para que aos homens pareça que jejuam. Em verdade vos digo que já receberam o seu galardão’. Mateus 6:16-18”, destacou.

“Se tinha dúvidas sobre a tendenciosa justiça, agora não tenho mais. Só espero q a maioria do STF tenha vergonha na cara( q lhe falta), e venha deferir o HC. Sou Cristão e lhe aconselho; Mais Constituição e menos Religião!!”, comentou outro usuário.

No entanto, muitos também declararam apoiar a iniciativa de Bretas e Dallagnol.

“Amem Dr Deltan.’ E se o meu povo,que se chama pelo meu nome,se humilhar,e orar,e buscar a minha face e se converter dos seus maus caminhos,então eu ouvirei dos céus e perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra’. 2Crônicas 7:14. Glorias a Deus”, destacou um usuário do Twitter.

“Parabéns pela coragem e pelo nível de ser humano que tem se mostrado. Estaremos juntos e com outros milhões de brasileiros que estão na mesma sintonia, verdadeiramente conscientes do momento em que vivemos”, afirmou outro internauta.

O julgamento de Lula havia começado no dia 22 de março, mas acabou interrompido em razão dos horários e compromissos de alguns ministros do STF, além do feriado da Páscoa. Apesar de valer apenas para o ex-presidente, o debate serve de pano de fundo para a discussão do início da execução da pena. Atualmente, é possível prender alguém após a condenação em segunda instância, caso do ex-presidente.

Lula foi condenado a 12 anos de cadeia pelo Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, no início do ano. Para o tribunal, ele cometeu os crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do tríplex do Guarujá.

Fonte: O Globo e Guia-me