Ex-muçulmano, o escritor Nabeel Qureshi revelou em seu livro recém-lançado, Seeking Allah, Finding Jesus (Procurando Alá, Encontrando Jesus), como trocou o Islã pelo cristianismo através de conversas intensas comparando as duas religiões com o auxílio de um amigo.

Em entrevista recente, Qureshi falou sobre sua vida, sobre a necessidade de aproximação de mais amigos cristãos americanos, porque pastores sul-africanos estão se convertendo ao Islã, e porque os ensinamentos de Maomé sobre as causas de Deus dentro de sonhos são tão valorizados pelos muçulmanos.

Qureshi é nascido nos EUA, mas cresceu em um ambiente muçulmano tradicional, por conta de seus pais paquistaneses que imigraram para o país, mas não abandonaram seus preceitos religiosos, ensinando ao filho que o cristianismo é uma “influência corruptora”, além de ter orgulho da herança islâmica.

Sobre a presença de amigos cristãos na vida de muçulmanos, o autor revela que o melhor caminho para abrir as portas ao cristianismo é ter um coração humilde ao se concentrar em Cristo, deixá-los interagir com a fé, e dando a abertura, é possível interagir com o que eles querem compartilhar.

Ao abordar sobre a África do Sul, ele também alerta que os cristãos devem rever sua forma de defender a fé. Para Qureshi, os sul-africanos são envolvidos pela fé através da defesa com base em argumentos, assim muitos cristãos se entregado ao islamismo em função da apologética.

Em relação aos sonhos, o autor explica que os muçulmanos encaram eles como uma resposta do que esperam ouvir de Deus, pois diferente do Cristianismo, no Islã, “as pessoas não esperam Deus falar de volta para eles pessoalmente”, esclarece.

E segundo Qureshi, foi justamente um sonho com Jesus que o levou a Cristo, e hoje ele aponta que seu foco é falar apenas sobre Cristo. “Meu foco é falar de Deus que vem a este mundo, o que significa para nós, quem é Jesus, o que ele disse que era e como provou isso”, conclui.

[b]Fonte: The Christian Post[/b]