O ex-sacerdote diocesano Aristóbulo Duque, 74 anos, entrou ontem com um processo trabalhista de cerca de US$ 40 mil contra a Arquidiocese de Cartagena, para pedir uma aposentadoria digna.

Duque alega que serviu a Igreja Católica por quase 50 anos, mas depois de sua aposentadoria, há um ano, a instituição não deu uma pensão justa que o permitisse viver dignamente seus últimos anos.

“Ninguém me expulsou (da Igreja Católica), apresentei minha renúncia porque estou cansado, tenho problemas de saúde e quero preparar meu encontro com o Senhor”, disse o ex-sacerdote.

De acordo com Duque, a Igreja Católica reconheceu apenas um salário mínimo legal, que equivale a US$ 170. “Não consigo viver com isso”, afirmou.

O pedido contempla o pagamento de horas extras e feriados nos quais trabalhou, além da aposentadoria.

O titular da arquidiocese, monsenhor Jorge Enrique Jiménez, está hospitalizado por doenças cardíacas, razão pela qual não respondeu os pedidos de Duque.

Fonte: ANSA