Um inspetor paquistanês e seus subordinados no Departamento de Taxas e Impostos foram acusados de “intimidar e ameaçar” cristãos residentes na comunidade cristã de Rawalaywala no distrito de Muzafarghar numa tentativa de conseguir suborno dizendo a eles que eles enfrentariam casos de venda ilegal de bebidas alcoólicas.

Waseem Shakir, um jornalista local cristão bem informado, alegou enquanto falava de Muzafarghar com a ANS em uma entrevista por telefone celular, que dois funcionários do departamento de taxas e impostos (E & T) estavam “aterrorizando persistentemente moradores cristãos da cidade cristã de Rawalaywala desde 20 de março”.

Shakir, um leal defensor dos direitos dos cristãos no distrito de Muzafarghar, reclamou que ambos os funcionários do departamento de E & T pediram ilegalmente suborno de US$ 2.386 de cada família cristã por mês senão eles os poderiam envolver em casos de tráfico de drogas.

Ele acrescentou que o número total de famílias cristãs residentes em Rawalaywala era de 200.

O jornalista também alegou que ambos os funcionários do departamento de E & T tinham, em 24 de março de 2011, começado um “falso” processo de venda ilegal de bebidas alcoólicas contra um homem cristão identificado como Aslam Masih. Shakir disse que Masih era inocente.

Falando sobre outra atrocidade triste e cruel infligida sobre as famílias cristãs pelos funcionários do departamento de E&T, Waseem Shakir alegou que em 4 de abril de 2011, policiais muçulmanos saquearam uma casa cristã na tentativa de extorquir o equivalente a US$239, ou cinco garrafas de bebida alcoólica, de uma família cristã pobre.

Uma mulher cristã, identificada como Raymona Bibi, e seu filho Adnan Masih, não tinham álcool ou aquela quantia em dinheiro, “porque não eram vendedores ilegais de bebidas alcoólicas”.

Fomos informados pelo jornalista local que quando eles disseram que não podiam pagar o suborno “[os funcionários do departamento] ficaram enfurecidos e começaram a espancar de uma forma bárbara o jovem e sua mãe.”
Foi então que alguns cristãos de comunidade cristã de Rawalaywala fizeram um protesto contra as atrocidades infligidas aos cristãos por estes funcionários do departamento de E&T.

Waseem Shakir disse a ANS que os cristãos gritavam slogans durante o protesto e então pacificamente dispersaram depois que alguns policiais que chegaram ao local disseram a eles que eles deveriam tomar ações legais contra os funcionários do departamento de E&T que espancaram a mulher cristã e seu filho e que também começaram um “falso” caso contra o homem cristão.

Shakir acrescentou que uma investigação está sendo feita sobre a situação.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]