Algumas igrejas do Recife e do interior de Pernambuco estão sendo alvo de saqueadores. Mais de 200 peças entre móveis antigas e imagens sacras desapareceram.

Na Igreja do Pilar, no Recife, por exemplo, até o telhado foi levado e as portas e janelas são fechadas com cimento e tijolo.

Mas, a ação dos bandidos não acontece só na capital. Eles também agem no interior do Estado. A Capela de São Francisco Xavier também foi roubada, com pedaços do altar arrancados e 14 imagens de santo levadas.

A solução para evitar os assaltos foi manter as imagens e as peças mais valiosas em segredo, escondidas. Dezenas de obras sacras e de valor histórico foram retiradas das igrejas mais vulneráveis. Algumas foram substituídas por réplicas para combater o roubo. O Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) tenta evitar que os roubos aconteçam e procura pistas sobre o paradeiro de 900 bens culturais que estão desaparecidos.

O superintendente do IPHAN, Frederico Almeida disse que a dificuldade de combater o tráfico é grande. “”Nós temos sistemas de controle e estamos tentando melhorar esse sistema de segurança”. Alguns policiais foram treinados para proteger o Sítio Histórico em Olinda, que abriga um dos mais valiosos conjunto de obras sacras do Brasil. São 17 câmeras espalhadas para monitorar os monumentos.

Pe360graus.com