Um padre católico foi esfaqueado em sua própria igreja na cidade de Izmir, no oeste da Turquia, neste domingo, de acordo com a polícia, num incidente que remonta a um tiroteio fatal com outro padre italiano na Turquia, em 2006.

O padre, identificado como Adriano Franchini, foi ferido no estômago e levado para o hospital. Franchini não corria risco de morte, segundo um porta-voz.

A polícia deteve três pessoas, de acordo com o porta-voz, que acrescentou ser muito cedo para dizer qual foi a causa do ataque.

A Anatolian, agência de notícias estatal da Turquia, informou que um homem de 19 anos era suspeito de ter esfaqueado o padre.

O incidente ocorreu após uma série de ataques a alvos cristãos na Turquia, país de maioria muçulmana, realizados geralmente por jovens.

Em outra ocasião, o padre católico Andrea Santoro foi atingido com um tiro em sua igreja, na cidade de Trabzon, em fevereiro de 2006. O autor do crime, um adolescente, encontra-se preso atualmente.

Em abril deste ano, três cristãos —um alemão e outros dois turcos— foram assassinados em uma editora de Bíblias na cidade de Malatya com as gargantas cortadas. O julgamento dos suspeitos já foi iniciado.

Ainda neste ano, o jornalista Hrant Dink, cristão, foi morto do lado de fora de seu escritório em Istambul por um grupo de jovens armados ultranacionalistas.

A União Européia há muito protesta sobre o fato da Turquia, candidata a integrar o bloco, não conseguir proteger a liberdade religiosa de sua minoria cristã, que mal totaliza 100 mil pessoas numa população total de 75 milhões.

Tanto no assassinato de Dink quanto nos de Malatya, a imprensa turca sugeriu que elementos nacionalistas nas forças de segurança podem ter dado cobertura aos criminosos, ou ao menos ignorado sinais de que um ataque era provável.

Fonte: Reuters