Padres sergipanos eleitos prefeitos estão discutindo a decisão das dioceses quanto à escolha pela política ou pela igreja.

Padres sergipanos eleitos prefeitos e que continuam conciliando as atividades nas prefeituras com os trabalhos nas paróquias, estão discutindo a decisão das dioceses quanto à escolha pela política ou pela igreja, como ‘reza’ o chamado Preceito Penal [Direito Canônico]. Eles terão uma reunião nesta quarta-feira, 11 em Aracaju, mas o prefeito de Poço Redondo, Frei Enoque Salvador (PSB), já decidiu: não vai largar a batina. Prefere deixar a política exercida durante três mandatos.

Devem participar do encontro, os prefeitos dos municípios de Cristinápolis, o padre Raimundo da Silva Leal (PCdoB); de Poço Redondo, Frei Enoque; o ex-prefeito de Japaratuba, padre Gerard Jullius Lothaire Olivier (PT) e até mesmo o pré-candidato à Prefeitura de Nossa Senhora do Socorro, Inaldo Luiz da Silva [que já está licenciado], dentre outros.

O prefeito de Poço Redondo informou já ter recebido comunicado do bispo da Diocese de Propriá, D. Mário Rino Savieri, dando conta de que deve fazer a opção em obediência ao Preceito Penal, que determina que integrantes da igreja não devem ocupar cargos políticos e nem mesmo se filiar aos partidos.

“Amanhã estaremos reunidos em Aracaju em local ainda a ser definido, mas eu já estou decidido a deixar a política da qual fiz parte por três mandatos agora no final de janeiro”, ressalta.

Indagado pela reportagem do Portal Infonet sobre o que a população de Poço Redondo acha desta decisão, padre Enoque foi enfático: “Eu sou suspeito. Claro que existem muitas pessoas que gostam do meu trabalho, as pessoas se apegam, mas outras acham bom. Toda renovação tem fatores positivos. Só que me causa um desânimo verificar todos esses problemas com a seca, com um rio passando ao lado do município e os moradores tendo que contar com água de carros-pipas”.

[b]Fonte: Infonet[/b]