O prefeito Nelson Trad Filho participou na manhã do dia 11 de um encontro das lideranças católicas realizado no auditório da UCDB (Universidade Católica Dom Bosco). O encontro, que reuniu padres, agentes, lideranças e coordenadores de pastorais das dioceses, discutiu o papel da igreja na sociedade.

Nelsinho explicou aos religiosos a importância de uma mobilização geral contra a dengue e pediu que promovam ações que despertem a atitude nas pessoas, para que Campo Grande não volte a registrar números tão altos da doença como aconteceu no verão passado.

“Nosso enfoque neste verão está relacionado à atitude das pessoas. Como explicamos em todas as reuniões que fazemos sobre dengue, cada mosquito fêmea coloca de 150 a 1.300 ovos por ciclo e por cerca de 18 meses o ovo fica viável para eclodir. Em contato com a água, num prazo de sete a dez dias ele se transforma em larva e, depois, em mosquito e sai por aí transmitindo a doença.

Considerando que 83% dos focos são residenciais e, como moramos numa cidade quente e com chuvas constantes, nossa tarefa no combate ao mosquito fica ainda mais árdua. Por isto, precisamos da colaboração e do empenho de todos”, explicou o prefeito.

Nelsinho Trad ainda sugeriu que as igrejas colaborem abordando o assunto nas missas e incentivando as pessoas a tomarem atitude. “Embora a maioria das pessoas saiba como combater o mosquito, apenas 15% colocam a mão na massa e, como já ressaltei, a maioria dos focos é residencial. Por isto, como igreja forte, atuante e consciente quanto à responsabilidade social, estamos solicitando que todos vocês nos ajudem nessa batalha, que é árdua, mas que pode ser vencida”, o prefeito.

O arcebispo de Campo Grande, Dom Vitório Pavanello, disse que não somente como religiosos, mas também como cidadã, a igreja vai fazer o que for possível para atender o apelo do prefeito. “Nós, como igreja, estamos interessados no bem-estar físico e mental da comunidade e precisamos trabalhar para que a dengue não nos atinja, como já aconteceu. Vamos exortar nossos fiéis semanalmente para que cuidem da saúde como bem maior oferecido por Deus e que façamos a nossa parte. Nas nossas ações pastorais conversamos sempre que a prevenção é o melhor tratamento e assim é com a dengue também”, o arcebispo (Informação da assessoria).

Fonte: MídiaMax