O papa Bento 16 e a chanceler da Alemanha, Angela Merkel, que tinha criticado o pontífice por causa de um bispo que negou o holocausto, tiveram uma conversa “cordial e construtiva” por telefone sobre o assunto, informou o Vaticano neste domingo.

Um comunicado conjunto afirma que o papa e Merkel trocaram idéias “em uma atmosfera de grande respeito”.

“Foi uma conversa cordial e construtiva, marcada pelo reconhecimento compartilhado e profundo da lição de Shoah da humanidade”, afirma o comunicado, acrescentando que a conversa telefônica foi pedida por Merkel.

A chanceler alemã criticou o papa na semana passada por restaurar quatro bispos tradicionalistas, incluindo um que nega a extensão do holocausto. A decisão do Vaticano revoltou muitas pessoas, incluindo líderes judeus e católicos progressistas.

Mais tarde, o Vaticano ordenou que o bispo, Richard Williamson, a se retratar publicamente se quiser continuar servindo a Igreja. Merkel disse que a decisão foi um sinal bom e positivo.

Fonte: O Globo