Decisão da Copa do Mundo entre Argentina e Alemanha confronta países dos papas Francisco e Bento 16.

A final do Mundial entre Argentina e Alemanha vai confrontar a paixão desportiva de dois papas vivos pela primeira vez. O argentino Francisco, 77 anos, nascido Jorge Bergoglio, é conhecido por ser um grande fã de futebol, especialmente da equipe de Buenos Aires San Lorenzo de Almagro. O papa Bento 16, ou Joseph Ratzinger, de 87, que se aposentou em fevereiro de 2013, nasceu na cidade bávara de Marktl.

[img align=left width=300]http://www.bemparana.com.br/upload/image/noticia/noticia_436781_img1_0711papas.jpg[/img]”Ambos querem que a melhor equipe vença”, disse nesta sexta-feira (11) o porta-voz do Vaticano, Federico Lombardi. Os dois papas provavelmente não vão se encontrar para assistir ao jogo no domingo (13), embora Francisco “deva assisti-lo”, afirmou Lombardi.

“Este jogo é extraordinário por uma razão: Ratzinger é o Beckenbauer da Igreja, ele é um homem que jogou toda a sua vida em sua própria metade de campo, ele é conservador”, disse Piero Schiavazzi, jornalista que cobre o Vaticano. Segundo ele, Bento 16 tem uma “ideia muito séria sobre ser um fã”. “Ele costumava ir ao estádio em Munique para assistir às partidas do Bayern quando era arcebispo por lá.” Antes de se tornar papa, Ratzinger dedicou um pouco do seu trabalho teológico para o futebol, estudando as analogias entre a fé e o apoio dos torcedores às suas equipes.

“Por outro lado, há um homem, Bergoglio, que passou toda a sua vida na metade do campo do adversário, ele representa a Igreja que vai além de seus limites”, afirma Schiavazzi. Antes do início da Copa do Mundo, o papa Francisco recorreu ao torneio para salientar valores como fairplay, solidariedade e respeito pelos adversários. “Minha esperança é que, além da celebração do esporte, que esta Copa do Mundo possa se transformar em uma festa de solidariedade entre os povos”, disse ele, em 12 de junho, em uma mensagem em português.

A Argentina ganhou a Copa do Mundo duas vezes, enquanto a Alemanha saiu vencedora três vezes. Em uma entrevista ao jornal espanhol La Vanguardia, em 18 de junho, o papa Francisco chegou a sugerir a pressão que está enfrentando hoje com a Argentina na final. “Os brasileiros pediram que eu fosse neutro, e eu vou cumprir com a minha palavra, porque Brasil e Argentina sempre foram antagonistas.”

[b]Fonte: Bem Paraná[/b]