Parentes dos pais de Madeleine McCann (foto) aconselharam o casal a consultar um médium para tentar localizar a menina, que desapareceu em 3 de maio, no sul de Portugal, dias antes de completar 4 anos.

Segundo a agência britânica “PA”, mais de mil pessoas que dizem ter dons parapsicológicos se ofereceram para ajudar Kate e Gerry McCann a encontrar a criança. Porém, disseram que só poderão fazer isso se a criança ainda estiver viva.

Até agora, o casal não teve contato direto com os supostos médiuns, mas parentes escoceses aconselharam os pais de Madeleine a não recusar a oferta.

“Eles estão desesperados e alguns membros da família sugeriram que este pode ser um novo caminho”, disse um amigo à imprensa.

A porta-voz dos McCann, Clarence Mitchell, reconheceu que houve tentativas nessa direção, mas acrescentou que Kate e Gerry ainda não tomaram decisão alguma a respeito.

“Se todos forem tratados com cortesia e se houver alguma informação que valha a pena analisar, uma placa de carro ou um nome, eles farão isto. A Polícia não desestimula”, acrescentou Mitchell.

Numa primeira fase da investigação, a Polícia portuguesa disse que levaria em conta as informações de pessoas com pretensos dons parapsicológicos, já que o seqüestrador da menina poderia tentar entrar em contato com os pais desta forma.

Os McCann, que já voltaram para o Reino Unido, são considerados “suspeitos” do desaparecimento de Madeleine pela Polícia de Portugal, que, no entanto, não possui qualquer prova de que um deles tenha matado a criança e, depois, enterrado o corpo.

Os pais da menina foram proibidos pela Justiça portuguesa de dar entrevistas e, segundo a imprensa britânica, estão frustrados por esse silêncio imposto enquanto, todos os dias, surgiam novas teorias, supostamente de fontes policiais portuguesas, sobre o que poderia ter ocorrido com Madeleine.

Segundo a imprensa local, a equipe de advogados que assessora os McCann estuda a possibilidade de o casal dar algumas entrevistas a alguns veículos de comunicação na próxima semana, quando deverá ser lançada uma nova operação na Península Ibérica para tentar localizar a menina.

Fonte: EFE