A secretária de Estado americana Condoleezza Rice, que prepara no Oriente Médio uma esperada reunião de paz, usou nesta quarta-feira a religião para promover a reconciliação entre israelenses e palestinos, durante uma visita à Basílica da Natividade.

Apesar de uma agenda muito apertada, Rice, que se considera muito religiosa, fez uma pausa para rezar na Basílica de Belém, cidade natal de Jesus Cristo, na Cisjordânia.

Rice iniciou sua visita na parte da basílica reservada aos gregos ortodoxos antes de passar para a parte armênia, mais católica, segundo membros de sua comitiva.

“Estar aqui, na cidade natal de nosso Senhor e nosso salvador Jesus Cristo, foi uma experiência muito especial e muito emocionante”, declarou Rice aos jornalistas no claustro da basílica.

“Para mim isto lembra (…) que estas grandes religiões monoteístas que povoaram esta terra conjuntamente têm uma oportunidade de superar suas divergências e deixar de lado seus rancores, de transformar o poder da religião em um poder de reconciliação e não de divisão”, acrescentou.

A ministra palestina do Turismo, Julud Duaibess, saudou uma “visita inesquecível” de Rice, primeira chefe da diplomacia americana que visita Belém desde Madeleine Albright em 1999.

“Espero que esta visita dê à secretária de Estado a energia necessária para superar o desafio da preparação da conferência e que esta leve a paz para a região e para os territórios palestinos”, acrescentou.

Em torno da basílica e no caminho tomado pelo comboio de Rice foram estabelecidas rigorosas medidas de segurança.

As ruas da cidade, cuja economia se viu duramente afetada pelos bloqueios e pela barreira de proteção erguida por Israel, estavam praticamente desertas.

Enquanto Rice visitava a basílica, dezenas de palestinas, mães de presos detidos em Israel, se reuniram para exigir a libertação dos filhos.

Rice, cujo pai e avô eram pastores presbiterianos, havia expressado seu contentamento na segunda-feira por poder viajar para o local onde teria nascido Jesus Cristo.

“Creio que será uma grande emoção para mim (…) começo a me lembrar da estrada de Ramallah, e isto me dará a oportunidade de visitar outra parte dos territórios (palestinos) e me reunir com a sociedade civil”, declarou.

Além de sua visita à igreja, Rice se reuniu em Belém com membros do governo palestino, com homens de negócios e com representantes da sociedade civil.

Ela ainda deve viajar para Ramallah para um novo encontro com o presidente palestino Mahmud Abbas antes de se reunir em Jerusalém com sua colega israelense Tzipi Livni. Deverá ainda participar de um jantar de trabalho com o primeiro-ministro Ehud Olmert.

A visita de Rice, a sétima que faz à região desde o início do ano, está centrada nos preparativos de uma reunião muito esperada sobre o Oriente Médio que os Estados Unidos querem organizar antes do final do ano.

Ao término de um encontro com Abbas na segunda-feira, Rice pediu que palestinos e israelenses cheguem em um acordo sobre a elaboração de um documento “concreto” antes da reunião internacional, julgando que “chegou o momento” de se criar um Estado palestino.

Na terça-feira, Rice viajou para o Cairo, onde obteve um apoio prudente do Egito para a reunião, que deverá ser realizada em novembro ou dezembro em Annapolis, perto de Washington.

Fonte: AFP