Um funcionário paquistanês de um distrito do norte do Paquistão advertiu professoras e estudantes a vestirem o traje islâmico, citando ameaças de extremistas talibãs ativos na área.

O oficial executivo do distrito de Swat emitiu uma notificação exigindo que as estudantes usem burcas, um tipo de vestimenta que cobre quase o corpo inteiro, segundo o jornal regional “Daily Mashriq”.

Cristãos da região fronteiriça com o Afeganistão disseram que agora são o alvo dos extremistas do movimento Talibã que regulam a maior parte do Afeganistão de 1995 a 2001.

Extremistas em Swat iniciaram uma campanha de islamização no distrito contra todas as coisas consideradas não-islâmicas desde começo de julho, quando uma sanção severa do governo contra militantes na mesquita Vermelha de Lal Masjid, em Islamabad, ativou reações violentas em nível nacional.

“Por causa das contínuas cartas ameaçadoras dos talibãs contra as mulheres e estudantes a usarem burcas, o oficial do distrito as instruiu a obedecerem as ordens”, afirmou “Daily Mashriq”.

A ordem afetou principalmente a escola secundária cristã em Sangota.

A escola das meninas ficou fechada durante uma semana neste mês, após a ameaça de ataques suicidas por “supostas conversões” ao cristianismo.

Fonte: Portas Abertas