O Tribunal de Justiça de Minas Gerais proibiu a Igreja Universal do Reino de Deus, na Zona da Mata mineira, de contribuir com a poluição sonora. A ação foi movida um empresário que mora nas proximidades da igreja, no bairro Palmeiras.

Ele e outros moradores se sentiram incomodados com o barulho diário dos cultos religiosos. A igreja se instalou na região há pouco mais de um ano.

A partir de agora, a igreja não pode emitir sons durante os cultos excessivos em níveis sonoros superiores a 70 decibéis durante o dia e 60 decibéis durante a noite. Se a igreja não respeitar a decisão ela será multada em R$ 1 mil por cada descumprimento.

Entre fevereiro e março deste ano, fiscais de posturas do município compareceram ao local munidos de um decibelímetro e constataram que os sons produzidos pela igreja chegaram a 81,40 decibéis.

Fonte: Agência Estado