O Vaticano publicou nesta quarta-feira um decreto que ameaça com a excomunhão imediata todo aquele que ordenar uma mulher sacerdote – e as mulheres que receberem os hábitos.

O decreto da Congregação para a Doutrina da Fé apareceu publicado no jornal do Vaticano, o Osservatore Romano.

O documento aponta que “aquele que se atrever a atribuir a ordem sacerdotal sagrada a uma mulher, assim como a mulher que ousar recebê-la, se expõe a uma excomunhão”.

O assunto das ordenações sacerdotais femininas ocupa a primeira página da imprensa internacional de tempos em tempos. Em 2002, sete católicas – alemãs, austríacas e americanas – foram ordenadas sacerdotisas em uma comunidade fundada em 1975 em Buenos Aires por um ex-padre católico chamado Rómulo Antonio Braschi.

A Santa Sé as excomungou semanas depois por terem cometido “um delito grave contra a constituição divina da igreja”.

João Paulo II, antecessor de Bento XVI, reafirmou em 1994 a posição da Igreja católica sobre este tema, explicando que não tinha poder para ordenar mulheres sacerdotes.

Fonte: AFP