Grupo anônimo de mãos dadas
Grupo anônimo de mãos dadas

Um grupo de Alcoólicos Anônimos na Inglaterra foi removido do site da organização depois que o grupo do condado de Somerset foi informado de que havia se tornado muito “focado na fé cristã”.

John Palmer, tesoureiro do grupo em Yeovil, disse que ficou desapontado com a decisão, acrescentando que o AA foi iniciado na década de 1930 por cristãos. A Oração da Serenidade é muito popular dentro do AA e tradicionalmente feita no final das reuniões.

“É uma decisão ridícula”, disse Palmer. “Eles nos removeram da seção ‘Encontre uma Reunião’ do site de AA, o que impedirá que novos membros nos encontrem. Em outras palavras, estamos sendo fechados.”

A controvérsia começou após uma reunião em que os administradores de AA em Somerset disseram que o grupo Yeovil era “adorável, mas não (dirigia) de acordo com as diretrizes de AA”.

Nas atas da reunião de administração, foi observado que alguém em uma reunião do grupo Yeovil disse que “a única forma de recuperação é por meio de Jesus”.

“Eles foram contra as tradições”, dizia a ata da reunião. “Não há nada de errado em falar sobre Jesus, mas isso não é AA.”

O governo disse que o grupo “deve ser mantido separado”.

Mas Palmer disse que o grupo acredita em suas “raízes tradicionais”.

“Não estamos batendo palmas e nem pressionamos o cristianismo nas pessoas”, disse ele.

AA não respondeu aos pedidos de comentários do The Daily Mail.

Andrea Williams, executiva-chefe da Christian Concern, disse em um comunicado que há uma “transformação radical” entre os alcoólatras em AA depois de “encontrar a esperança e a cura em Jesus”.

“Separar e punir os cristãos para que não possam atrair novos membros para compartilhar a mensagem do evangelho de esperança é perturbador e ridículo.

“É triste, mas não é surpreendente em nosso mundo de cultura anônima, ouvir que a mensagem do evangelho, que está enraizada na história do Natal, não é mais apropriada para AA e deve ser mantida separada.”

Folha Gospel com informações de Christian Headlines


Comentários