Catedral de Canterbury, na Inglaterra
Catedral de Canterbury, na Inglaterra

Os dados mais recentes do Office for National Statistics revelaram um declínio acentuado no número de pessoas que se identificam como cristãs na Inglaterra e no País de Gales.

Números de 2019 mostram que apenas 51 por cento são cristãos, enquanto aqueles sem religião representam mais de um terço.

Isso representa uma queda considerável em relação ao Censo de 2011, quando os cristãos representavam 59 por cento da população.

A queda na afiliação cristã coincide com um aumento no número de pessoas sem religião, que cresceu de 32,3 por cento em 2011 para 38,4 por cento agora.

Os jovens adultos representavam a menor proporção de cristãos – 35,2 por cento dos jovens de 20 a 29 anos e 39,8 por cento dos de 30 a 39 anos.

Isso se compara a dois terços das pessoas de 60 a 69 anos, pouco menos de três quartos (74,6 por cento) das pessoas de 70 a 79 anos e 81 por cento daqueles com 80 anos ou mais.

Em contraste, mais da metade (53,4 por cento) das pessoas de 20 a 29 anos disse não ter nenhuma religião, seguido por pessoas de 30 a 39 anos (46,3 por cento).

A proporção de muçulmanos na Inglaterra e no País de Gales teve um pequeno aumento de 4,83% para 5,67%.

Os resultados do Censo de 2021 devem ser publicados no próximo ano e devem mostrar um declínio adicional na identificação cristã.

Um levantamento sobre os serviços presenciais da Igreja da Inglaterra em outubro de 2020, durante uma calmaria nos lockdowns por conta da Covid-19, mostrou que o comparecimento era 57 por cento menor do que os níveis pré-pandêmicos.

Os números da Igreja para 2020 também mostram uma queda de 7 por cento na comunidade de adoração em relação ao ano anterior.

Um porta-voz da Igreja disse que os números estão “muito em linha com as expectativas e realmente sublinham a escala do desafio que as igrejas enfrentaram no primeiro ano da pandemia”.

A Igreja da Inglaterra tem lutado com um declínio constante de frequência por muitos anos e como parte de sua resposta lançou uma Visão e Estratégia para dobrar o número de crianças e jovens em suas igrejas e atrair congregações mais diversas.

Refletindo essas prioridades, a Igreja anunciou este mês que estaria investindo cerca de 5 milhões de euros no apoio a projetos em suas dioceses que visam alcançar grupos mais jovens e mais diversificados.

Debbie Clinton, codiretora da Visão e Estratégia da Igreja da Inglaterra, disse: “Tornar-se uma Igreja mais jovem e diversa surgiu como uma prioridade clara para a Igreja da Inglaterra como parte de sua Visão e Estratégia para os próximos dez anos. “

Folha Gospel com informações de The Christian Today


Comentários