O pastor Ronaldo Didini, âncora do programa “25ª Hora”, exibido nas madrugadas, esteve no olho do furacão durante o episódio do “chute na santa”, em 1995, quando um bispo da Universal chutou uma imagem de Nossa Senhora na madrugada do dia 12 de outubro, ao vivo. O fato desencadeou uma das mais graves crises religiosas no Brasil.

Cerca de 10 anos atrás, o pastor Ronaldo Didini era uma espécie de celebridade da Igreja Universal.

Hoje pastor da Igreja Mundial do Poder de Deus, Ronaldo Didini, 50, voltou à TV: foi contratado pela Band para ser o gestor do canal 21, transmitido em UHF e que acaba de fechar um contrato de cinco anos com a igreja. Não foram divulgados valores do contrato ou mais detalhes sobre a parceria.

Pastor evangélico, Didini será, na prática, o diretor-geral e artístico do novo canal, que chamará “21 – Vem Pra Cá, Brasil”. Entra no ar no próximo domingo, dia 10.

O canal vai estrear com 22 horas de programação exclusivamente religiosa e duas horas de jornalismo da Band (das 22h à 0h). Mas, segundo Didini, até o final do ano a grade de programação também terá atrações “laicas”.

“Ainda estamos montando a equipe. No começo só teremos condições de colocar cultos e pregações, mas depois vamos variar bastante a programação”, disse Didini à Folha Online.

O pastor também fará as vezes de apresentador: vai ressuscitar, com outro nome, o “25ª Hora” –único programa da Igreja Universal que discutia assuntos não-religiosos e chegava a registrar 5 pontos de média (mais do que a Record registra hoje no mesmo horário).

Igreja Mundial

A Igreja Mundial foi fundada em 1998 por Valdemiro Santiago, intitulado apóstolo. Conhecido por sua oratória incisiva, Santiago foi bispo da Igreja Universal. Se tornou dissidente em 97, por discordar de preceitos de Edir Macedo.

O número de fiéis da Igreja Mundial é mantido sob sigilo, mas, segundo estudiosos, é uma das igrejas evangélicas que mais cresce: tem 500 templos no Brasil e já se expande para Europa e África.

Didini deixou a Universal no final dos 90 e migrou para a Assembléia de Deus, braço pentecostal com o qual mantém amizade com os líderes até hoje. O pastor também deixou a Universal de forma pacífica: Edir Macedo lhe deu uma espécie de “certidão” na qual atesta por escrito que, enquanto pertenceu à igreja, Didini “foi um homem de Deus”.

Em 99 ele virou missionário da Igreja Internacional, de R.R.Soares (cunhado de Edir Macedo), para quem montou sedes em Portugal, Reino Unido e Holanda, entre outros países.

Fonte: Folha Online