O arcebispo de York, John Sentamu, utilizou neste domingo seu sermão de Páscoa para pedir a libertação de Alan Johnston, o correspondente da rede pública britânica “BBC” em Gaza, seqüestrado no dia 12 de março.

“Em nome de Deus, por favor, libertem Alan Johnston. Ele não é seu inimigo”, disse o arcebispo de York, segunda autoridade eclesiástica mais importante da Igreja da Inglaterra, depois do primaz anglicano e arcebispo de Canterbury, Rowan Williams.

Sentamu disse que o caso do repórter “é um símbolo para garantir que a liberdade de imprensa não é violada, um assunto com o qual os jornalistas palestinos estão muito familiarizados, já que enfrentam ataques, intimidação e detenções rotineiras”.

Os fiéis da paróquia de Argyll, região escocesa de onde o arcebispo é oriundo, também dedicaram hoje suas orações ao repórter.

O jornalista foi seqüestrado na Faixa de Gaza no dia 12 de março, mas até agora se desconhece seu paradeiro ou seu estado.

No dia do seqüestro, Jonhston viajava em um veículo alugado pela “BBC” por uma rua do centro de Gaza, quando foi detido por quatro homens encapuzados, que o obrigaram a abandonar seu carro e entrar em outro veículo.

Tanto a Autoridade Nacional Palestina (ANP) como as forças de segurança e o grupo islâmico Hamas condenaram o fato e instaram os seqüestradores a libertar Johnston, que trabalhou para a “BBC” em Gaza durante os últimos três anos.

No dia 2, grandes personalidades da mídia pediram, em carta publicada no jornal “The Guardian”, que sejam redobrados os esforços para conseguir a libertação de Johnston.

O repórter ingressou no Serviço Mundial da “BBC” em 1991, e passou oito dos últimos 16 anos como correspondente em vários países, entre eles o Uzbequistão e o Afeganistão.

Nos últimos anos, dezenas de jornalistas e trabalhadores de organizações estrangeiras com sede nos territórios palestinos foram seqüestrados por milicianos em Gaza e na Cisjordânia.

Fonte: EFE