Igrejas na China
Igrejas na China

No dia 8 de outubro, as igrejas em Guiyang foram fechadas por serem consideradas “locais religiosos ilegais”.

“Igrejas não registradas da região estão sendo pressionadas pelas autoridades a se unir à igreja sancionada pelo governo, o Movimento Patriótico das Três Naturezas”, diz a organização de direitos humanos Christian Solidarity Worldwide (CSW).

No dia 11 de outubro, na província de Zhejiang, uma cruz foi derrubada de uma das igrejas que não é reconhecida pelo governo, reportou a CSW, que também postou um vídeo mostrando uma cruz sendo retirada de uma igreja na província de Henan.

Uma semana antes, oficiais do órgão que cuida das atividades religiosas na China também derrubaram a cruz de uma outra igreja em Zhumadian porque alegaram que “estava muito visível”.

Grupos de direitos humanos também mencionaram relatos de oficiais importunando mais de 300 membros de igrejas, o que resultou na perda de metade dos membros das congregações.

Desde a introdução da revisão do regulamento religioso em fevereiro, a pressão sobre as igrejas chinesas tem aumentado.

Enquanto isso, em Hubei, líderes cristãos foram chamados a uma reunião para serem “reeducados” sobre como deve ser uma “igreja independente”. Um líder cristão local disse: “O objetivo final do governo é eliminar todas as religiões, sem exceções”.

Os cristão da China, que ocupa a 43ª posição na Lista Mundial da Perseguição 2018, pedem oração para que tenham sabedoria e força para lidar com o aumento da pressão.

Fonte: Missão Portas Abertas