A declaração de utilidade pública para a Associação Paranaense da Parada da Diversidade foi rejeitada pela maioria dos vereadores de Curitiba. Com a titulação, a entidade, que integra o movimento GLBT – Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais – pode se habilitar a projetos e convênios com o poder público e ainda conseguir isenção da taxa de alvará de funcionamento. Porém, a proposta não foi aceita na Câmara Municipal de Curitiba.

Para o vereador pastor Valdemir Soares (PRB), os recursos públicos não devem ser usados para esta finalidade e, nas palavras dele, devem ser mais bem investidos. A opinião do pastor da Igreja Universal levantou uma polêmica na Câmara Municipal – religião e homossexualismo. O vereador Algaci Tulio (PMDB) defendeu o projeto e a igualdade entre as pessoas.

Para o coordenador da Appad, a Associação Paranaense da Parada da Diversidade, Marcio Marins, o tema foi tratado com preconceito pela chamada bancada evangélica na Câmara.

A polaridade dividiu também os presentes na Câmara Municipal na segunda-feira. O segundo andar do Plenário ficou praticamente lotado. De um lado, o apoio à Appad. Cerca de 40 pessoas acompanharam as discussões, estendendo faixas pedindo respeito e o fim da discriminação. Entre elas, Cecilia de Castro, integrante do Grupo Dignidade, que foi até a Câmara apoiar um movimento semelhante.

Já os contrários à proposição de utilidade pública à Appad estiveram do lado oposto do Plenário, literalmente. Cerca de 80 pessoas, todas seguidoras da Igreja Universal, manifestaram o repúdio ao projeto. Um dos representantes do grupo, o pastor Leandro Bianco mostrou que o discurso evangélico está sincronizado. Eles dizem que preferem discussões mais importantes na Câmara.

E como o projeto causou polêmica, não faltaram as manifestações dos dois grupos. Em diversos momentos, durante os discursos dos vereadores, as pessoas aplaudiam ou vaiavam o orador, e o vereador Tito Zeglin (PDT), que presidiu a sessão legislativa, teve de intervir.

A proposição de utilidade pública à Associação Paranaense da Parada da Diversidade é da vereadora Professora Josete (PT).

Fonte: Jornale – Curitiba