O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou nesta quarta-feira, após desembarcar em Israel em sua primeira visita oficial ao país, que “a paz deve chegar à Terra Santa”.

Obama disse ainda que a aliança entre seu país e Israel é “eterna” e “para sempre”.

Em discurso no aeroporto de Ben Gurion, onde aterrissou o Air Force One, Obama disse que o “interesse fundamental” dos Estados Unidos é “estar com Israel” porque essa aliança “faz ambas as nações mais fortes e prósperas e transforma o mundo em um lugar melhor”.

“Não é acidental que esta seja minha primeira visita ao exterior desde a posse de meu segundo mandato. Vejo esta visita como uma oportunidade para reafirmar o laço inquebrantável” entre ambos os países, discursou o presidente.

Obama destacou que os EUA estão “orgulhosos” de serem o “principal aliado e grande amigo” de Israel e qualificou o país como “o lar histórico do povo judeu”, que está “há 3.000 anos” na região.

“O povo judeu viveu aqui, rezou ao seu Deus aqui, e após séculos de exílio e de perseguições sem precedentes na história, Israel renasceu”, disse.

Embora o discurso de Obama tenha se centrado nos laços entre Israel e os EUA, em uma breve passagem Obama se referiu à necessidade de conseguir a paz com os palestinos. “A paz deve chegar à Terra Santa. Nossa visão é a de uma Israel em paz com seu vizinhos”, defendeu.

O presidente americano, que utilizou algumas palavras em hebraico durante seu discurso, explicou que embora se trate de sua primeira visita a Israel como presidente, já viajou duas vezes ao país.

“Estou honrado de estar de novo aqui. É uma oportunidade para reforçar nossa aliança irrompível, reafirmar a segurança e falar diretamente ao povo de Israel e seus vizinhos”, argumentou.

Antes de ir para Jerusalém em um helicóptero, Obama observou de de perto no aeroporto uma das baterias da Cúpula de Ferro, o sistema antimísseis subvencionado por Washington, que foi transferido ao lugar para a ocasião.

[b]Fonte: EFE[/b]