De acordo com pesquisa realizada pelo Datafolha, 54% dos brasileiros defendem que o papa Francisco e a igreja católica continuem se posicionando contra o aborto e 57% contra o casamento gay.

A maioria dos brasileiros aprova a escolha do papa Francisco, mas quer que a Igreja Católica se renove e revise sua posição sobre o divórcio ou o uso dos preservativos, segundo uma pesquisa divulgada neste domingo pelo instituto Datafolha.

Esse é o resultado de pesquisa nacional feita pelo Datafolha em 20 e 21 de março, uma semana depois do conclave que elegeu o papa Francisco -primeiro latino-americano e primeiro jesuíta no comando da Santa Sé. A margem de erro do levantamento é de dois pontos percentuais.

Dos 2.653 entrevistados pelo Datafolha em 166 municípios, a maioria, 58%, definiu-se como católica -número próximo dos últimos dados do IBGE, de 2010, segundo os quais 64,6% da população brasileira professa o catolicismo. Outros 21% se disseram evangélicos pentecostais.

A pesquisa aponta que 74% dos brasileiros consideraram ótima ou boa a eleição do cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio como novo bispo de Roma.

No entanto, a pesquisa mostra que no Brasil, país com o maior número de católicos do mundo, existe um alto grau de inconformismo com algumas posições do Vaticano, qualificadas como ‘dogmáticas’ e ‘atrasadas’ em relação a diversos assuntos.

Para 83% dos consultados na pesquisa, o uso de preservativos e outros anticoncepcionais deveria ser permitido, e 58% consideram que a Igreja Católica deveria aceitar o divórcio. Além disso, a possibilidade de mulheres serem ordenadas e poderem rezar missas teve o apoio de 58% dos entrevistados.

Aborto e casamento gay, por sua vez, são os tópicos em que a maior parte dos brasileiros está de acordo com a orientação católica: 54% e 57%, respectivamente, defendem que a igreja continue se posicionando contra os dois.

[b]Fonte: Folha de São Paulo e MSN[/b]