Família orando antes da refeição
Família orando antes da refeição

O primeiro Natal foi celebrado no céu e na terra. Anjos e homens se alegraram. Na pequena cidade de Belém, na casa do pão, nasceu o pão da vida. O Verbo eterno, pessoal e divino se fez carne. As profecias se cumpriram. Naquela noite, nasceu o Sol da Justiça. Deus se fez homem, o eterno entrou no tempo, o imenso esvaziou-se, o mais exaltado entre os anjos, humilhou-se.

Sendo o Rei dos reis, fez-se servo. Sendo rico e o dono do mundo, tornou-se pobre. Sendo transcendente, nasceu de uma virgem. Esse é o grande mistério do Natal que ainda hoje celebramos. Celebramos porque Jesus está vivo. Está vivo e no trono. Está vivo e vai voltar. Está vivo entre nós e dentro de nós.

O Natal deve ser celebrado pela família e pela igreja. Todos os povos devem adorar o Rei da glória. Ele é digno de receber todo o louvor e adoração. Ele é o Salvador do mundo, o Messias prometido, o Senhor dos senhores. Nele temos copiosa redenção. Ele é a nossa paz e a nossa justiça. Ele é a nossa alegria e a nossa herança. Nele temos vida maiúscula e abundante. Ele veio para nos dar a própria vida eterna.

Reúna sua família ao redor da mesa para comemorar o Natal. A mesa é mais do que uma mobília da sala, é um emblema de comunhão familiar. A mesa é lugar onde a família se reúne para comer e conversar. É palco de boas palavras e também lugar apropriado para se olhar nos olhos. É cenário de oração e também de louvor. É território de encorajamento e descontração.

O salmista fala da família ao redor da mesa. A esposa, como elo de ligação da família, congrega os filhos. Ao redor da mesa tem renovo. Ao redor da mesa cultiva-se amizade. Ao redor da mesa tem encorajamento. Ali as mágoas são tratadas. Ao redor da mesa olha-se nos olhos. Pecados são confessados e perdoados. Fraquezas são superadas e vencidas. Ali, nesse camarim da graça, as máscaras são tiradas e novos recomeços acontecem.

A mesa não pode ser substituída nem abandonada. Ela é símbolo do diálogo. Ela abre as portas para a comunhão e ataca o isolamento. A mesa tira os membros da família de suas trincheiras pessoais. Arrasta-os de seus quartos climatizados e aparelhados para o lazer da solidão.

A mesa é lugar de fortalecer a comunhão com Deus. É lugar de oração e cânticos de louvor. É lugar de ações de graça e de súplicas. É lugar de contar as bênçãos e dividir as cargas. É lugar de recreio para a alma, de tônico para  o coração e de vida para a família.

Neste Natal reúna sua família ao redor da mesa. Não apenas para uma Ceia farta, mas, sobretudo, para dar graças a Deus por Jesus, o seu Filho, que por amor nós, veio até nós, para dar significado à nossa vida, remir-nos do nosso pecado e conduzir-nos de volta ao Pai.

Não faça deste Natal apenas um tempo para comer, beber e distribuir presentes. Entenda, que nós já fomos presenteados com a maior de todas as dádivas, o presente da vida eterna. Tire um tempo, ao redor da mesa, para que cada membro da família possa expressar sua gratidão.

Abra espaço para testemunhos acerca da bondade, do cuidado e da proteção de Deus. Prepare não apenas os adornos e enfeites de sua casa, prepare sobretudo, o seu coração. Não fique agitado de um lado para o outro, como Marta; assente-se aos pés de Jesus, como Maria, para ouvir-lhe os ensinamentos.

Neste Natal, abra a palavra de Deus e medite sobre o grande amor de Deus. Neste Natal abra seus lábios para cantar louvores ao Altíssimo. Neste Natal faça como os magos do Oriente, alegre-se em Jesus, adore a Jesus, e coloque seus tesouros aos pés de Jesus.

Reconheça que ele é o Rei Todo-poderoso, o Deus digno de ser adorado e aquele que veio para dar sua vida por pecadores como nós, a fim de que nós tomássemos posse da vida eterna. Feliz Natal!

Rev. Hernandes Dias Lopes