Bandeira da Líbia Foto: www.slon.pics - br.freepik.com

Não há liberdade de expressão, religiosa e nem a mínima possibilidade da existência de uma igreja na Líbia. Embora haja cerca de 34.500 cristãos no país, apenas cerca de 150 são líbios, pois a maioria são trabalhadores expatriados e migrantes.

Cristãos líbios ex-muçulmanos enfrentam violenta e intensa pressão da família e da comunidade em geral para renunciar à fé em Jesus. Tanto eles como os cristãos estrangeiros são vulneráveis a sequestros ou assassinatos por grupos de radicais islâmicos e do crime organizado.

Compartilhar a fé publicamente é ilegal na Líbia, e aqueles que tentam “desobedecer” correm o risco de oposição violenta e prisão. Sem um governo central, o país está enfraquecido e sem lei. Por isso, há pouca chance de haver justiça legal quando os cristãos são atacados ou mortos.

Cristãos que migram da África Subsaariana também são mantidos presos em centros de detenção, sendo abusados, torturados e extorquidos por aqueles que os traficam. Os seguidores de Jesus são frequentemente forçados a trabalhos intensos ou até a prostituição.

“O quarto estava escuro, mas de repente havia um homem brilhante como uma luz. Ele não parecia irreal, mas eu senti que não poderia tocá-lo. Ele continuou parado ao meu lado. Senti felicidade em meu coração apenas por causa da presença dele. Ele era alto e seu cabelo era um pouco comprido. ‘Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida’, ele disse. Então se foi.”
Maizah, cristã perseguida que precisou fugir da Líbia por causa da fé

O que mudou este ano?

A violência continua aumentando na Líbia e há mais incidentes verificados de ataques e assassinatos de cristãos. A perseguição em todas as esferas da vida só piorou.

Quem persegue os cristãos na Líbia?

O termo “tipo de perseguição” é usado para descrever diferentes situações que causam hostilidade contra cristãos. Os tipos de perseguição aos cristãos na Somália são: opressão islâmica, opressão do clã, corrupção e crime organizado.

Já as “fontes de perseguição” são os condutores/executores das hostilidades, violentas ou não violentas, contra os cristãos. Geralmente são grupos menores (radicais) dentro do grupo mais amplo de adeptos de uma determinada visão de mundo. As fontes de perseguição aos cristãos na Líbia são: grupos religiosos violentos, líderes religiosos não cristãos, parentes, cidadãos e quadrilhas, oficiais do governo, partidos políticos, líderes de grupos étnicos, redes criminosas.

Quem é mais vulnerável à perseguição na Líbia?

Os cristãos estão em risco em todo o país, mas especialmente vulneráveis em áreas onde grupos extremistas islâmicos estão presentes. Militantes que juraram lealdade ao Estado Islâmico ainda estão no país, principalmente na região de Sirte. Outros grupos extremistas controlam áreas dentro e ao redor da capital, Trípoli. Os cristãos expatriados evitam viajar pelo país, mas especialmente em áreas onde pode haver postos controlados por radicais.

Cristãos migrantes de outras áreas da África, com o objetivo de chegar à Europa, são frequentemente mantidos em centros de detenção superlotados na região da capital. Já outros são entregues diretamente a funcionários do governo ou grupos criminosos pelos traficantes de pessoas, e forçados ao trabalho agrícola intensivo ou à prostituição.

Como as mulheres são perseguidas na Líbia?

Os cristãos líbios que se converteram do islamismo são particularmente vulneráveis à perseguição da família e comunidade. Eles têm pouca ou nenhuma chance de fugir de situações perigosas. O testemunho de uma mulher não tem o mesmo peso legal que o de um homem, por isso é improvável que ela obtenha justiça se for abusada sexualmente por causa da fé. Isso às vezes é usado como forma de punição contra uma mulher cristã. Em geral, as mulheres ocupam uma posição inferior na sociedade líbia.

Como os homens são perseguidos na Líbia?

Em geral, os homens cristãos enfrentam um risco maior de violência na Líbia. Os migrantes da África Subsaariana são frequentemente sequestrados e forçados a trabalho forçado, outros são mantidos reféns para que a família pague pela liberdade deles.

Os homens são os responsáveis pelo sustento nas famílias da Líbia, e a esposa e os filhos sofrem se um homem cristão perde o emprego, é sequestrado ou forçado a fugir de casa.

O que a Portas Abertas faz para ajudar os cristãos na Líbia?

Em cooperação com as igrejas e parceiros locais, a Portas Abertas apoia a igreja no Norte da África por meio de treinamento, distribuição de literatura cristã e Bíblias, desenvolvimento socioeconômico e advocacy.

Como você pode ajudar os cristãos perseguidos?

Além de orar por eles, você pode ajudar de forma prática doando para os projetos da Portas Abertas de apoio a cristãos perseguidos. Doando para esta campanha, você possibilita que um cristão ex-muçulmano seja discipulado por um mês no Norte da África.

Clique aqui para doar.

Fonte: Portas Abertas