Domínio total de pastor sobre membros da igreja (Ilustração)
Domínio total de pastor sobre membros da igreja (Ilustração)

Mais de 700 pessoas foram vítimas de abuso sexual em igrejas da Convenção Batista do Sul (Southern Baptist Convention, SBC), a maior denominação evangélica dos Estados Unidos.

Uma investigação detalhada dos jornais Houston Chronicle e San Antonio Express News descobriu que cerca de 380 líderes de igrejas e voluntários das igrejas da SBC “deixaram para trás centenas de vítimas” nos últimos vinte anos.

“Cerca de 220 infratores foram condenados ou fizeram acordos judiciais, e dezenas de casos estão pendentes. Eles eram pastores, ministros, pastores da juventude, professores da Escola Dominical, diáconos e voluntários da Igreja”, escreve o Houston Chronicle.

Os dois jornais contataram dezenas de vítimas e conversaram com alguns infratores condenados. “Muitas das vítimas eram adolescentes que foram molestados, enviaram fotos ou textos explícitos, foram expostos a pornografia, fotografados nus ou repetidamente violentados por jovens pastores”, escreveu o Houston Chronicle. 

“Algumas vítimas a partir dos 3 anos foram molestadas ou estupradas nos estudos dos pastores e nas salas de aula da escola dominical.”

Entre os exemplos, os jornais citam uma vítima que morreu de overdose de drogas 14 anos depois de ter sido molestada em 1994. Após o abuso, quando ela tinha apenas 14 anos, ela cortou os pulsos. De acordo com o Chronicle, sua mãe culpa a morte subsequente da filha pelo trauma que sofreu.

Os jornais alegam que a SBC não conseguiu criar um registro de supostos infratores.

A liderança da SBC reagiu às notícias com horror. “Estou quebrado com o que foi revelado hoje. Os abusos descritos neste  artigo do @HoustonChron são pura maldade. Eu me uno a inúmeros outros que estão atualmente “chorando com aqueles que choram”.

“Vou buscar todos os caminhos possíveis para trazer os vastos recursos espirituais, financeiros e organizacionais da Convenção Batista do Sul para conter os predadores em nosso meio “, disse JD Greear, o presidente da Convenção.

“Devemos admitir que nossos fracassos, como igrejas, colocaram esses sobreviventes em uma posição em que foram forçados a ficar sozinhos e falar, quando deveríamos estar lutando por eles . Sua coragem é exemplar e profética . Mas lamento que a coragem deles tenha sido necessária ”, acrescentou Greear.

O Presidente da Comissão de Ética e Liberdade Religiosa Batista do Sul, Russell Moore, disse que “o relatório é alarmante e escandaloso, a coragem e a graça desses sobreviventes é contrastada com a terrível depravação daqueles que usaram o nome de Jesus para atacá-los. Tais abusos são satânicos em sua raiz”.

“Nada é pior do que o uso do nome de Jesus para atacar os vulneráveis, ou usar o nome de Jesus para encobrir tais crimes. A questão dos predadores na igreja não é uma questão secundária, sobre a qual as igrejas devem se concentrar apenas por causa do momento cultural. Essa é uma questão primordial, que o próprio Jesus nos alertou desde o começo.”, acrescentou Moore.

SBC
Mais de 300 líderes e voluntários da Convenção Batista do Sul têm sido acusados ​​de abuso sexual.

A Convenção Batista do Sul instituiu um estudo sobre abuso sexual dentro da denominação evangélica que será relatado no encontro anual de 2019.

Moore disse que “está procurando encorajar políticas e práticas que protejam as crianças e os vulneráveis ​​do abuso sexual em igrejas, promovendo o cumprimento das leis e fornecendo cuidados compassivos para aqueles que sobreviveram ao trauma” .

A Convenção Batista do Sul une 42.000 igrejas nos Estados Unidos e representa uma estimativa de 16 milhões de cristãos evangélicos.

Fonte: Evangelical Focus e Christian Today