Família orando
Família orando

Embora a nova pandemia de coronavírus tenha resultado em muitas igrejas fechando suas portas em nome do distanciamento social, uma nova pesquisa com mais de 11.000 adultos americanos mostra que a doença também inspirou mais da metade deles a orar.

pesquisa do Pew Research Center com 11.537 adultos norte-americanos, realizada de 19 a 24 de março, mostra que 55% deles dizem ter orado pelo fim da propagação do coronavírus.

Entre os americanos que relataram orar diariamente, cerca de 86% deles relataram orar pelo fim do coronavírus, enquanto 73% daqueles que se identificam como cristãos dizem que estavam orando durante a pandemia. Mesmo entre os que raramente ou nunca oram, 15% disseram estar orando pelo fim do coronavírus, enquanto 24% dos que não pertencem a nenhuma religião dizem que também estão orando.

O aumento da oração ocorre mesmo que, de acordo com a pesquisa, 59% dos entrevistados que frequentavam a igreja cerca de uma ou duas vezes por mês tenham dito que não frequentaram a igreja durante o surto de coronavírus.

Observou-se que, embora não se encontrem mais no espaço físico, muitas pessoas de fé têm se envolvido virtualmente. Cerca de quatro em cada dez adoradores regulares parecem ter substituído a presença física pela adoração virtual, dizendo que eles estavam participando com menos frequência, mas assistindo on-line, de acordo com o estudo.

As descobertas do estudo sobre a mudança na vida de oração dos americanos também são consistentes com as de outro estudo recente “Em Crise, Oramos: Religiosidade e a Pandemia de COVID- 19” , por Jeanet Sinding Bentzen, professora associada da Universidade de Copenhague e diretora executiva da Associação para o Estudo da Religião, Economia e Cultura.

Bentzen analisou buscas na Internet por oração em 75 países e relatou que “a intensidade da busca por oração dobra para cada 80.000 novos casos registrados de COVID-19”.

“Em tempos de crise, os humanos tendem a recorrer à religião para aliviar o stress e buscar explicação. A pandemia de COVID-19 em 2020 não é exceção”, escreveu Bentzen.

“Eu documentei que as pesquisas do Google sobre oração dispararam durante o mês de março de 2020, quando o COVID-19 se tornou global”.

Bentzen descobriu que, em março, as pesquisas na Internet por oração “atingiram o nível mais alto nos últimos cinco anos para os quais há dados comparativos de pesquisa no Google, superando todos os outros eventos importantes que de outra forma instigam a demanda intensificada por oração, como Natal, Páscoa e Ramadã.”

Quase 90% dos adultos norte-americanos também observaram que sua vida mudou um pouco desde o surto de coronavírus, enquanto 44% disseram que mudou sua vida de maneira importante.

A maioria agora se sente desconfortável fazendo coisas como participar de uma festa lotada ou comer fora em um restaurante. Cerca de 42% também expressaram desconforto em ir ao supermercado.

Para a maioria dos adultos com crianças menores de 12 anos, a capacidade de trabalhar em casa os ajudou a gerenciar melhor as responsabilidades de cuidar das crianças.

Folha Gospel com informações de The Christian Post