Sede da Igreja Universal em Vitória, Espírito Santo.
Sede da Igreja Universal em Vitória, Espírito Santo.

Fiéis da Igreja Universal de Vitória (ES), situada na Avenida Nossa Senhora da Penha, em Andorinhas, denunciaram a realização de cultos normalmente com a presença de centenas de pessoas, sem que seja respeitado o espaço entre elas. A denúncia foi feita à reportagem de A Gazeta.

Apenas na manhã deste domingo (05), os membros afirmam que a celebração contou com cerca de 450 fiéis, o que vai contra a determinação do governo estadual, que proíbe aglomerações, inclusive em igrejas e templos com mais de 50 pessoas.

De acordo com as denúncias, para não deixar rastros em redes sociais, pastores estariam convocando os fiéis em suas próprias casas.

No fim dos cultos, a ordem seria sair da igreja em pequenos grupos para não despertar atenção. Por medo de represálias, os denunciantes preferem não ser identificados.

“Desde que o governo proibiu aglomerações, a Igreja Universal continuou funcionando normalmente. Os cultos nunca pararam. Já teve dia de aglomeração de cerca de 1.500 pessoas. Com o tempo, as pessoas foram parando de ir e o movimento diminuiu. Ainda assim, há muita gente junto. Só na manhã de hoje (05) foram cerca de 450 pessoas aglomeradas. Eu fui lá e vi com meus próprios olhos. É um risco muito grande que todos estão correndo”, contou um fiel. 

Outra fiel conta que para não deixar rastros em redes sociais, pastores estariam convocando os fiéis em suas próprias casas. A partir daí, um membro chama pelo outro.

“O único contato que eles fazem por rede social é para pedir o dinheiro do dízimo. Eles dizem: Olha, você não está indo à igreja, mas tem que continuar ajudando’. Eles não postam nada sobre os cultos no Facebook e nem falam sobre isso no Whatsapp para não deixar pistas, mas vão na casa das pessoas fazer o convite pessoalmente e pedem para avisar aos outros que eles não conseguiram encontrar”, afirma. ‘

Uma das fiéis que fez a denúncia, conta que não irá mais ao culto de domingo por medo da disseminação do coronavírus. Mas afirmou que lamenta pelos colegas que se sentem obrigados a participar das celebrações. 

“Eu não irei mais aos cultos, mas lamento pelas pessoas que se sentem obrigadas a ir. Continuarei tendo a minha fé e fazendo as minhas orações em casa. É preciso responsabilidade. Estamos enfrentando um problema grave, que é essa pandemia. Não podemos colocar vidas em risco”

Universal confirma culto

A Igreja Universal confirmou a celebração de culto com cerca de 400 pessoas neste domingo (05). Porém, negou a aglomeração e afirmou que cada fiel ficou cerca de dois metros distante do outro. Além disso, a igreja afirma que está tomando outras medidas de precaução.

“Logo na chegada da Covid-19 ao Brasil, em uma reunião com representantes de várias instituições religiosas de todas as crenças, o governador Renato Casagrande solicitou que as igrejas adotassem medidas para evitar a aglomeração de pessoas. E assim a Igreja Universal do Reino de Deus tem se pautado. No caso citado, trata-se da Catedral da Universal no estado, com capacidade para 3.600 pessoas, que recebeu 400 pessoas naquela data – cerca de 10% da lotação do local”, afirmou a Instituição, por nota.

Fonte: A Gazeta