Igreja Católica de São José, em Belo Horizonte, MG.
Igreja Católica de São José, em Belo Horizonte, MG.

A Arquidiocese de Belo Horizonte colocou à disposição das autoridades, aproximadamente 1,5 mil igrejas localizadas em Belo Horizonte e em 27 municípios da região metropolitana para se tornarem hospitais de campanha.

A decisão foi tomada nesta quarta-feira (26) pelo arcebispo metropolitano da capital mineira, dom Walmor Oliveira de Azevedo, diante da pandemia de coronavírus e da expectativa de sobrecarga no sistema de saúde pública.

Os templos também poderão ser utilizados como pontos de apoio a idosos, doentes e pessoas de maior vulnerabilidade social.

Como os espaços não estão sendo utilizados para a realização de missas e celebrações religiosas, que estão sendo transmitidas aos fieis, a ideia é ampliar os espaços para que possam ser utilizados pelas autoridades para o tratamento de quem contrair o coronavírus.

A Arquidiocese ressaltou que não tem condições de transformar os templos em hospitais de campanha, mas reforçou que deixa os espaços à disposição.

Em conversa com os prefeitos, dom Walmor e os bispos reafirmaram o compromisso da Igreja Católica no sentido de promover ações solidárias. Já em uma carta dirigida aos fieis, o arcebispo falou da importância da solidariedade.

“Nossos templos, cerca de 1500, na Capital Mineira e em outros 27 municípios da Região Metropolitana de Belo Horizonte, a Catedral Cristo Rei e o Centro Olímpico da PUC Minas estão sendo colocados à disposição do poder público para serem “hospitais de campanha”, espaços de acolhida, dedicados aos mais pobres. A Igreja está aberta para amparar os doentes, unindo esforços ao Sistema Único de Saúde (SUS)”, disse na carta aos fiéis, o arcebispo metropolitano de Belo Horizonte, dom Walmor Oliveira de Azevedo.

Fonte: O Tempo