Sombaru Madkami foi assassinado por homens armados que estavam descontentes com a conversão da família dele

Nem o risco de contaminação com a COVID-19 amedrontou os extremistas hindus de perseguirem os cristãos em aldeias mais remotas na Índia.

Um adolescente de 14 anos, Sombaru Madkami, foi agredido até a morte no dia 4 de junho. Alguns homens armados com paus, facas e outros utensílios indígenas foram até a casa da família do garoto e pediram para que ele os acompanhasse para uma reunião.

Além disso, forçaram alguns idosos da vila a acompanharem o jovem cristão. Mas eles conseguiram fugir antes de chegar ao local de destino. No dia seguinte, o corpo do adolescente, que estava enterrado no topo da montanha, foi encontrado pela polícia.

Segundo os cristãos locais, houve muita oposição da comunidade em relação às pessoas que se converteram nos últimos três anos. A família de Sombaru frequentava ativamente as reuniões e era perseguida desde que decidiu seguir a Jesus; esse pode ser o motivo do assassinato do garoto cristão.  

Fiel apesar da perda

Outra vítima da intolerância religiosa na Índia foi Neelam Purty, de Jharkhand. De acordo com os cristãos locais, ela foi baleada no dia 16 de abril. Em 2015, o pai dela, que era pastor, foi morto por extremistas.

Acredita-se que os agressores da cristã foram os mesmos que mataram o líder cristão.

De acordo com testemunhas, a família continuava a promover reuniões de oração mesmo depois de perderem o chefe da família.

Quando invadiram a casa dos cristãos disseram: “O pastor foi morto, mas vocês não aprenderam a lição. Vocês continuam se reunindo em grande número para orações cristãs”.

Fonte: Portas Abertas