Perseguição aos cristãos: homem ajoelhado em uma igreja destruída
Perseguição aos cristãos: homem ajoelhado em uma igreja destruída

Mais de 360 milhões de cristãos enfrentam pressão e violência por seguirem a Jesus no mundo. Os dados da Lista Mundial da Perseguição 2022 também revelam que o Afeganistão é o país mais perigoso para um cristão viver. O país obteve 98 pontos (sendo 100 a pontuação máxima) na pesquisa, quatro a mais do que na LMP 2021. Porém, esse dado não significa que a perseguição na Coreia do Norte diminuiu; pelo contrário, o país também teve 2 pontos a mais do que a edição anterior, mostrando que a perseguição se intensificou.

Os países asiáticos são a maioria no ranking, com 29, depois vêm os africanos, com 18, e três da América Latina. A perseguição aumentou em 23 países: 13 deles ficam na Ásia, nove na África e um na América Latina. A hostilidade por causa da fé em Jesus caiu em 18 nações: 11 são asiáticas, seis africanas e uma latino-americana. Os índices permaneceram os mesmos em sete países, dos quais cinco estão na Ásia e dois na África.

Onde a perseguição aos cristãos aumentou?

A perseguição aumentou em 23 países, ou seja são 23 países que subiram posições na LMP 2022: 13 deles ficam na Ásia, nove na África e um na América Latina. A nação que mais subiu posições na LMP 2022 foi o Níger, que saltou da 54ª para 33ª posição. A Indonésia saiu da 47ª posição para a 28ª posição, Cuba foi da 51ª para a 37ª, Catar foi do 29º lugar para o 18º e Butão saiu da 43ª colocação para a 34ª.

O crescimento da violência foi o responsável pela nova colocação do Níger. Os extremistas islâmicos, como Boko Haram, ampliaram a ação no território, e os cristãos ex-muçulmanos são um dos principais alvos dos extremistas religiosos.

Na Indonésia, os ataques contra os cristãos aumentaram. No período de pesquisa da Portas Abertas, dois ataques contra cristãos ganharam destaque: um em Sulawesi e o atentado a bomba na catedral de Makassar. Em Cuba, o governo aproveitou a pandemia para fechar igrejas e prender líderes cristãos.

Já no Catar, a maioria das igrejas no país foi fechada e há apenas um complexo religioso autorizado a funcionar, mas ele não é grande o suficiente para acomodar toda a comunidade cristã. A violência contra os cristãos por parte da família, comunidade e governo aumentou no Butão. Isso fez com que o país subisse nove posições

Onde a perseguição aos cristãos diminuiu?

A Turquia foi o país que desceu 17 posições, passou do 25º lugar para o 42º. Já o Egito saiu do 16º lugar para o 20º, o Iraque foi do 11º para o 14º e a Síria caiu do 12º para o 15º.

Os dados da Turquia indicam que, apesar da pressão ter aumentado, a violência caiu. Menos igrejas foram hostilizadas e nenhum cristão foi morto no período de pesquisa (entre 1 de outubro de 2020 e 30 de setembro de 2021). Já no Egito, os cidadãos foram instruídos a ficar em casa e as igrejas diminuíram as atividades, por isso caiu o número de ataques relatados.

A queda de posição no Iraque e Síria aconteceu pela diminuição dos ataques violentos a cristãos. Houve menos relatos de cristãos mortos e presos e igrejas fechadas e atacadas, mas cresceram as denúncias de sequestros, casamentos forçados e ataques e confisco de lojas e terras de cristãos.

Fonte: Portas Abertas

Comentários