Cristãos lendo a Bíblia na África
Cristãos lendo a Bíblia na África

No Chade, país localizado no centro-norte da África, os cristãos de origem muçulmana são rejeitados por suas famílias quando se convertem a Cristo.

Eles são considerados traidores e vistos como indignos de compartilhar os segredos da família. Tal isolamento visa levá-los de volta ao islamismo.

Este é o caso de Ousmane, que enfrenta a rejeição todos os dias como um lembrete de quão ofensiva foi para sua família sua decisão de seguir a Cristo. Ousmane, de 34 anos, converteu-se a Cristo em abril de 2017, após uma campanha evangelística de uma igreja local.

Os cristãos lhe entregaram fitas de áudio contendo o evangelho. “Depois que ouvi o evangelho, senti Deus me chamando. Eu atendi ao chamado.” Um pastor local ajudou-o ao longo do caminho.

Quando sua família soube, começou a dificultar as coisas. Ousmane enfrentou ameaças de todos os parentes.

“Eles o insultam e o excluem das reuniões de família. Ninguém está disposto a compartilhar uma refeição com ele. Eles dizem que, como traidor, ele não tem direito aos segredos de família”, explica o pastor que o acompanha.

Ousmane é casado e pai de 3 filhos. Sua esposa e seus filhos não são cristãos, mas mesmo assim todos eles são afetados pela rejeição.

“Às vezes, quando é hora das refeições, os homens da família se reúnem em um só lugar e as mulheres da família lhes trazem comida. Quando minha esposa traz a dela, eles se recusam a comer. Não é fácil para ela. É por causa de mim que eles a tratam assim”, diz Ousmane.

 Enquanto a família de sangue rejeita, a da fé apoia

“Eu sei que não foi um homem que me chamou para vir a Jesus. O próprio Deus fez, e eu vou permanecer firme até o fim, porque nada pode me separar deste amor de Jesus “, diz Ousmane. Felizmente, Ousmane está recebendo um bom apoio de sua família cristã.

“Toda vez que meu pastor vem me visitar, sou encorajado. Eu recebo forças para perseverar em tudo isso. Eu gosto do trecho de Romanos 8:35-39 porque me diz que nada pode me separar do amor de Deus, nada, nem mesmo perseguição. Sempre que leio esta passagem, sou fortalecido”, afirma o cristão.

A Portas Abertas atua através de parceiros da igreja local para fortalecer o ministério da igreja de cristãos ex-muçulmanos, como Ousmane e ajuda os líderes da igreja a entender como cuidar espiritualmente e fisicamente dos convertidos por meio de atividades de discipulado, fornecimento de Bíblias e outras literaturas cristãs, treinamento de alfabetização e treinamento vocacional com apoio financeiro para iniciar projetos de geração de renda. O pastor de Ousmane é um desses que se beneficiam dos programas da Portas Abertas.

Fonte: Portas Abertas