Cristãos no Paquistão pedem paz
Cristãos no Paquistão com cartaz onde está escrito: "Cristãos querem paz no Paquistão"

A International Christian Concern (ICC) tomou conhecimento de uma situação preocupante, em que os cristãos paquistaneses receberam ajuda alimentar para aplacar a crise humanitária em decorrência da Covid-19, mas não puderam ter acesso.

Isso marca o quarto incidente que o TPI documentou desde que o Paquistão é alvo de autoridades que tentavam combater a pandemia.

A Jihad Watch já havia relatado outros dois incidentes, um em 1º de abril e outro em 7 de abril, bem como em 11 de abril, um incidente no qual os cristãos foram forçados a fazer a profissão islâmica de fé para obter ajuda alimentar.

De acordo com uma publicação em vídeo no Facebook, os cristãos receberam ajuda alimentar em 2 de abril em uma vila situada na estrada Raiwind, perto de Lahore. Um pastor local, que não pode ter o nome revelado, confirmou o incidente quando contatado pela ICC.

No vídeo do Facebook, o jovem cristão afirma que um comitê local da mesquita distribuiu alimentos em 2 de abril para “famílias merecedoras”. No entanto, a gerência pediu aos cristãos da vila que deixassem o complexo da mesquita porque a ajuda alimentar era destinada apenas a muçulmanos.

“Se essa é a situação, então quais são os arranjos para os cristãos?”, ele perguntou no vídeo do Facebook. “Quem vai nos alimentar? Não somos cidadãos do mesmo país?”

“Negar ajuda alimentar e discriminar cidadãos é crime”, disse Aftab Hayat, líder de uma ONG paquistanesa à ICC. “Os cristãos frequentemente enfrentam discriminação e são vítimas de ódio religioso. No entanto, a situação para os cristãos no meio da crise do Covid-19 é alarmante e piora. Portanto, as autoridades devem tomar nota da situação em desenvolvimento.”

Desde 21 de março, a maior parte do Paquistão está em regime de bloqueio, pois as autoridades buscam diminuir a propagação do coronavírus. No entanto, esse bloqueio nacional afetou significativamente as comunidades pobres e vulneráveis ​​do país. Isso inclui as minorias religiosas do Paquistão.

Aproximadamente 45% da população total do Paquistão vive abaixo da linha da pobreza, ganhando a maior parte de sua renda através de trabalhos diários. O bloqueio nacional impediu que muitos desses trabalhadores ganhassem salários diários e relatórios de fome já estão circulando.

Fonte: Guia-me com informações de ICC