Igreja destruída na Índia
Igreja destruída na Índia

Os ataques contra cristãos e seus locais de culto na Índia continuaram a aumentar em número e gravidade nos primeiros meses de 2020, com 27 incidentes violentos registrados apenas em março.

O United Christian Forum (UCF), uma organização cristã que defende os cristãos na Índia, documentou 56 ameaças contra cristãos e 78 incidentes de violência entre janeiro e março de 2020.

Segundo a UCF, esses ataques ocorreram em Uttar Pradesh, Chhattisgarh, Tamil Nadu, Odisha, Bihar, Karnataka, Madhya Pradesh, Maharashtra, Telangana e Goa. Na maioria dos casos, os ataques foram cometidos por multidões que se opunham aos cristãos que realizavam cultos.

Em 12 de março, uma multidão atacou um pastor e seu filho de 6 anos porque eles estavam administrando uma igreja doméstica. A multidão forçou a filha de 8 anos do pastor a se despir e ameaçou espancá-la até a morte se ela não obedecesse.

Em 15 de março, uma multidão de 300 indivíduos atacou um culto na igreja em Kunda Thana, localizado no estado indiano de Uttar Pradesh. Lá, o pastor da igreja foi espancado pela polícia e falsamente acusado de usar a igreja para crimes.

O Observador Internacional da Perseguição, International Christian Concern (ICC), alerta que, enquanto o bloqueio nacional da Índia em resposta à pandemia do COVID-19 diminuiu o número de ataques a cristãos, esses ataques provavelmente retornarão quando o bloqueio for finalmente suspenso. 

“É preciso fazer mais na Índia para garantir os direitos da minoria cristã do país e levar os autores desses ataques à justiça”, diz o ICC. 

A Índia ocupa a 10ª posição na lista mundial de países em que é mais difícil ser cristão. A organização diz que os cristãos no país enfrentam níveis “horríveis” de violência de extremistas, com milhares de ataques ocorrendo todos os anos. 

Os incidentes direcionados aos cristãos indianos aumentaram acentuadamente desde 2014, quando Narendra Modi, do Partido Bharatiya Janata, chegou ao poder, de acordo com o Portas Abertas, que observa que pelo menos um cristão foi atacado todos os dias no ano passado.

John Prabhudoss, presidente da Federação das Organizações Cristãs Americanas da América do Norte, disse ao The Christian Post que a reeleição de Modi “trouxe um sentimento de confiança entre o grupo radical hindu de que agora eles podem atacar os cristãos e outras minorias religiosas (muçulmanos) sem se preocupar com a aplicação da lei”.

“A maioria das vítimas cristãs no passado não podia ir à polícia, mas agora é quase certo que apenas as vítimas serão indiciadas pela polícia se forem a elas. A polícia tem medo de agir contra membros do partido hindu que estão atacando os cristãos, ” ele disse. 

Segundo Prabhudoss, o “apoio endossado pelo presidente Donald Trump a Modi e a maneira como o governo hindu lidou com a violência religiosa na Índia reforçaram ainda mais sua determinação”.

De acordo com o Persecution Relief , que acompanha a perseguição e o assédio anticristão na Índia, os crimes contra os cristãos na Índia aumentaram 60% entre 2016 e 2019. A maioria desses incidentes ocorreu em Uttar Pradesh .

Vários estados da Índia adotaram leis rigorosas de anti-conversão que buscam impedir qualquer pessoa de converter ou tentar converter, direta ou de outra forma, outra pessoa por meios “forçados” ou “fraudulentos”, ou por “sedução” ou “indução”.

No entanto, essas leis são frequentemente usadas pelos extremistas como uma desculpa para interromper os cultos da igreja e assediar os cristãos.

Em abril, os cristãos do estado de Tamil Nadu, no sul da Índia, foram presos sob falsas acusações de “conversão forçada”, ao mesmo tempo em que forneciam comida e outros auxílios aos pobres. No mesmo mês, um cristão no estado de Odisha, no nordeste da Índia, foi severamente espancado por uma multidão por realizar uma reunião de oração cristã em sua casa.

Em março, os cristãos no estado indiano de Uttar Pradesh foram falsamente acusados de converter forçosamente os hindus ao cristianismo. Como resultado, eles foram brutalmente espancados por um policial bêbado que então ordenou que eles posassem como Cristo na cruz. 

Em fevereiro, nove cristãos foram espancados pela polícia depois de serem acusados ​​de “conversão forçada” na cidade de Sathankulam, distrito de Thoothukudi, no estado indiano de Tamil Nadu.

Folha Gospel com informações de The Christian Post