Bandeira da Índia nas mãos de uma mulher
Bandeira da Índia nas mãos de uma mulher

O estado de Punjab, na Índia, está sob massivos ataques contra as comunidades cristãs. O cristianismo está crescendo bastante, o que tem irritado extremistas religiosos no estado. Em 31 de agosto de 2022, após ter mantido guardas sob a mira de armas, um grupo não identificado vandalizou uma igreja no distrito de Taran Taran, em Punjab.

O grupo declarava: “Nós somos calistanis”, ou seja, membros da Força de Libertação do Calistão. Esse é um grupo banido na Índia por ser uma associação ilícita que promove campanhas para a independência de Punjab como forma de obter um lar para os sikhs. Além disso, o carro de um líder da igreja também foi incendiado.

O incidente ocorreu um dia após o Akal Takht, principal centro da autoridade religiosa dos sikhs, emitir uma declaração contra as supostas conversões realizadas por missionários cristãos. O Akal Takht também pediu que o ministro chefe de Punjab, Bhagwant Mann, banisse conversões religiosas no estado. “Os denominados missionários cristãos converteram à força sikhs por meios de práticas fraudulentas. Sikhs e hindus de Punjab são enganados e convertidos. Isso acontece bem às vistas do governo”, disse o chefe do Akal Takht.

O mesmo grupo exigiu a retirada do primeiro relatório de informação preenchido contra o líder nihang, Baba Major Singh, e 150 assessores desconhecidos, que supostamente interromperam uma congregação cristã na vila de Daduana, distrito de Amritsar, no dia 28 de agosto.

Repressão aos cristãos

Na data, o grupo de cristãos se reuniu para cultuar e mais de 400 pessoas vieram das regiões próximas. Durante o culto, mais de 150 pessoas, membros de um movimento militante fundamentalista sikh, invadiram o local e começaram a bater nas pessoas e coisas ao redor, sem nenhuma explicação. Elas ameaçaram os cristãos e rasgaram a tenda. Não apenas vandalizaram todo o lugar, como também não pouparam mulheres e crianças, assustando a todos.

A comunidade cristã apresentou um primeiro relatório de informação contra eles e os ataques à igreja em Punjab. Como resposta, a comunidade nihang pediu a retirada do relatório de informação, caso contrário toda a comunidade sofreria as consequências do derramamento de sangue. Desde então, muitos incidentes ocorreram, com pastores e cristãos sendo ameaçados e acusados por conversão religiosa.

Fonte: Portas Abertas

Comentários