Cadeia (Reprodução)
Cadeia (Reprodução)

As autoridades da Eritreia liberaram cerca de 36 cristãos que estavam detidos por causa da fé. Fontes disseram ao portal britânico de notícias BBC que 14 deles estavam detidos há quatro anos na ilha de Dahilik. Outros 22 cristãos detidos no mês passado também foram soltos sob fiança.

Os seguidores de Jesus foram presos por não seguirem o islã, religião oficial do país. Em 2002, a Eritreia introduziu uma lei que proíbe todas as igrejas, exceto as denominações ortodoxas, católicas e luteranas. Mas, recentemente, o governo do país tem libertado prisioneiros cristãos. Em setembro do ano passado, 27 prisioneiros que estavam detidos há anos foram libertados.

Muitos cristãos permanecem detidos e outros são presos por causa da fé. O governo da Eritreia acusa cristãos de serem instrumentos de governos estrangeiros. A Eritreia, uma nação secreta e altamente militarizada, tem sido governada por Isaias Afwerki desde sua independência da Etiópia em 1993, sem eleições ou parlamento e um projeto de constituição que nunca foi implementado.

A perseguição aos cristãos na Eritreia

Cristãos de denominações não tradicionais enfrentam perseguição mais dura na Eritreia, tanto do governo como da Igreja Ortodoxa Eritreia, que é a única denominação cristã reconhecida pelo governo e rigidamente controlada pelas autoridades.

Cristãos que não são da Igreja Ortodoxa e ex-muçulmanos enfrentam extrema oposição da família, comunidade e do Estado; muitas vezes serviços sociais essenciais e outros recursos são negados aos seguidores de Jesus.

Fonte: Portas Abertas