Cristãos em uma igreja no Irã
Cristãos em uma igreja no Irã

Conforme reportou a organização Middle East Concern (MEC), no dia 16 deste mês, dois cristãos de origem muçulmana foram tirados de suas casas em Karaj e Mashhad por agentes de segurança do Irã.

Behnam Ersali e Davood Rasooli combinaram de se reunir em Mashhad na sexta-feira, quando ambos foram presos. Acredita-se que a inteligência iraniana soubesse de seu encontro depois de interceptar suas ligações, segundo o MEC.

Ersali já estava em Mashhad, a 946 quilômetros de Karaj, no nordeste do Irã, quando seis agentes de segurança invadiram a casa de seu amigo onde ele estava hospedado e prenderam os dois. Eles libertaram seu amigo depois de algumas horas, mas Ersali permanece sob custódia em um local desconhecido, disse o MEC.

Enquanto isso, Rasooli, também conhecido como David, e que foi membro da igreja Assembleia de Deus em Teerã, foi preso na frente de sua casa em Karaj, perto de Teerã, às 6 da manhã de sexta-feira, quando se preparava para viajar a Mashhad. Dois agentes de segurança vestidos à paisana o levaram, mas voltaram mais tarde para revistar sua casa e confiscaram alguns de seus livros e pertences pessoais, informou o Mohabat News.

Desde a sua detenção, os dois homens não tiveram mais contato com familiares ou amigos e não se sabe sob quais acusações foram detidos ou onde estão sendo mantidos, embora os amigos de Rasooli suspeitem que ele esteja em confinamento solitário e sendo interrogado na prisão de Gohardasht.

Suas prisões ocorrem em meio a relatos de aumento da pressão sobre os cristãos no Irã.  “Nos últimos dias, os relatórios indicam que as agências de inteligência da República Islâmica convocaram e prenderam vários cristãos nas cidades do norte do país”, informou o Mohabat News.

Os detalhes são escassos, mas foi dito que alguns cristãos haviam sido libertados em seus reconhecimentos, depois de assinarem uma promessa por escrito de comparecer em futuras aparições no tribunal.

Em outubro, o World Watch Monitor relatou a condenação de dois cristãos iranianos a 18 e 12 meses de prisão por “espalhar propaganda contra o regime” afirmando que Jesus é o Senhor e que a Bíblia é sua autoridade final. Segundo o veredito, “isso pode ser percebido como um ataque contra o islã”.

Um outro cristão convertido iraniano, Naser Navard Gol-Tapeh, está cumprindo 10 anos de prisão por organizar igrejas domésticas, ele perguntou às autoridades, em uma carta aberta em agosto, como suas atividades cristãs poderiam ser percebidas como antiestatistas. Gol-Tapeh está preso desde janeiro na prisão Evin, conhecida por confinar presos políticos, muitos deles cristãos.

Fonte: Missão Portas Abertas