Desde que se iniciou o mês sagrado do Ramadã, dedicado à oração e ao jejum, a arquidiocese sírio-ortodoxa de Aleppo oferece todos os dias alimentos para o café da manhã e para a única refeição vespertina das famílias muçulmanas mais indigentes que vivem no bairro de Sulaimaniyah.

[img align=left width=300]https://aleteiaportuguese.files.wordpress.com/2015/08/98ejro2clvm0dd-9kodaelrinyrljfqpdoqy2afkoh7tx_26zvhvohuvtuxkd4t1jcmaafvkwikgkw3lj_z0ic15rwm.jpg[/img]Fotografias divulgadas pelo site ankawa.com documentam a distribuição das refeições preparadas pelos cristãos para as famílias muçulmanas. O centro de distribuição se encontra nas salas da arquidiocese, na Catedral dedicada a Santo Efrem o sírio.

Em mensagem difundida pela mídia da Arquidiocese, esta iniciativa é apresentada como um gesto simples para expressar os sentimentos de solidariedade entre compatriotas de diferentes pertenças religiosas, com o auspício de contribuir para retomar, no tempo, a convivência entre as várias comunidades étnicas e religiosas que caracterizava a sociedade síria antes da guerra.

O conflito – lê-se nas informações divulgadas pela Arquidiocese e recebidas pela Agência Fides – em muitos casos, também levou cristãos e muçulmanos a praticar gestos de caridade inter-religiosa, como no caso das crianças órfãs muçulmanas que encontraram hospitalidade em estruturas de propriedade da Igreja, depois que o edifício em que estavam hospedados foi devastado pelos bombardeios.

A condução da Arquidiocese sírio-ortodoxa de Aleppo está ainda formalmente confiada ao Metropolita Mar Gregorios Yohanna Ibrahim, desaparecido junto com o Metropolita greco-ortodoxo de Aleppo Boulos Yazigi em abril de 2013, enquanto os dois Arcebispos estavam na área entre Aleppo e o confim com a Turquia.

[b]Fonte: Aleteia[/b]