Um professor universitário provocou um grande alvoroço na Turquia após classificar de “animais” as pessoas que não rezam, em um programa da televisão estatal para comemorar o mês de jejum muçulmano do Ramadã.

“Um trecho do Alcorão diz (…) os animais não fazem orações e os que não fazem orações são animais”, disse Mustafa A?kar em um programa da televisão estatal TRT, divulgado durante o fim de semana.

A?kar argumentou que os seres humanos são as únicas criaturas capazes de se curvar para orar, inclinando a testa.

“Os seres humanos foram criados para orar de maneira ergonômica”, disse A?kar, professor da faculdade de Teologia da Universidade de Ancara.

Diante do crescente alvoroço, a direção de assuntos religiosos da Turquia emitiu um comunicado em sua conta no Twitter considerando as declarações do professor inaceitáveis.

“O lugar, a importância e o valor das orações em nossa religião são conhecidos por todos”, mas “é inaceitável humilhar ou insultar as pessoas atacando sua liberdade religiosa e para rezar”.

O vice primeiro-ministro, Nurettin Canikli, recusou comentar as declarações de A?kar, mas assegurou que “se constituem como delito”, se forem realizadas as investigações e ações legais necessárias. “Não é um obstáculo”, acrescentou.

A Constituição turca, de caráter laico, garante o princípio da liberdade religiosa, mas na Turquia aparecem cada vez mais vozes que criticam a islamização do país sob o governo do presidente Recep Tayyip Erdogan.

Engin Altay, do opositor Partido Republicano del Pueblo, classificou A?kar como “lunático”. “Eu li o Alcorão. Não existe nenhum trecho (…) Penso que este indivíduo é um lunático”, disse à agência de notícias Dogan.

“Os únicos animais são na realidade aqueles que lhe permitem aparecer em uma importante cadeia de televisão como a TRT”, acrescentou.

[b]Fonte: AFP[/b]