Bandeira da Índia
Bandeira da Índia

O mês de outubro foi de diversos ataques a cristãos na Índia, mas na última semana os relatos de incidentes aumentaram. Casas de seguidores de Jesus foram incendiadas, discursos de ódio tornaram-se virais em redes sociais e mentiras sobre pessoas recebendo dinheiro para se converter resultaram em prisões.

Em uma comunidade local, mais de oito famílias cristãs foram ao culto e suas casas perderam suas casas durante um incêndio. Vários cilindros de gás explodiram e queimaram tudo o que estavam dentro das casas. De acordo com a polícia, o fogo foi causado pelo manuseio de bombinhas de artifício durante uma festividade. No entanto, os seguidores de Jesus acreditam que seja resultado de intolerância religiosa.

Desde que várias famílias decidiram seguir a Jesus, as comunidades da região se posicionaram contra os cristãos e ameaçaram: “Retornem ao hinduísmo ou enfrentarão as consequências terríveis um dia”. Por isso, os cristãos afetados acreditam que foram vítimas de um ataque com motivo religioso.

Outro ponto que levanta suspeitas é que o incêndio queimou apenas as propriedades dos cristãos. Caso o fogo surgisse do manuseio de fogos de artifício, teria que queimar primeiro os locais onde havia mais substâncias inflamáveis e não diretamente a casa dos seguidores de Jesus.

Prisão de seguidores de Jesus

Em outro incidente, nove cristãos foram presos sob a acusação de converter 400 pessoas à força. Além disso, foram expulsos da comunidade onde vivem por um grupo criminoso local, mas não obedeceram à ordem dos extremistas. Então foram denunciados à polícia e detidos, os cristãos também foram maltratados e agredidos. Seis deles foram encaminhados para a prisão e três jovens com seus bebês ficaram presas na delegacia, contrariando uma lei que proíbe que fiquem detidas até as 18h.

Estrangeiros também foram acusados falsamente de converter indianos. Três suecos foram até o local participar de uma oração e acabaram acusados de forçar a conversão dos habitantes locais. Eles foram deportados, mesmo a embaixada da Suécia provando que as acusações eram falsas.

Um dia depois, sete alemães foram interrogados pelas autoridades. Eles visitaram uma igreja como turistas, mas não participaram de nenhuma atividade religiosa. Entretanto, as autoridades os culparam de converter indianos. O grupo só foi liberado quando pagou milhares de dólares para as autoridades. Além disso, dois cristãos locais que os convidaram para ir à igreja foram presos.

Fonte: Portas Abertas

Comentários