O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e o presidente Jair Bolsonaro durante reunião no Palácio da Cidade Imagem: Reprodução/Twitter/Palácio do Planalto
O prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e o presidente Jair Bolsonaro durante reunião no Palácio da Cidade Imagem: Reprodução/Twitter/Palácio do Planalto

Em meio a uma disputa pelo apoio do governo federal na eleição para a Prefeitura do Rio de Janeiro, o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) organizou hoje um grande evento para receber o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Estiveram presentes quase todos os secretários de Crivella, além de políticos e lideranças evangélicas, como o missionário RR Soares, líder da Igreja Internacional da Graça de Deus.

Outra autoridade que compareceu foi o chefe da Secom (Secretaria de Comunicação da Presidência da República), Fábio Wajngarten, envolvido em denúncias de conflito de interesses. 

O encontro no Palácio da Cidade, residência oficial do prefeito do Rio, na zona sul carioca, que originalmente ocuparia apenas 15 minutos da agenda presidencial, durou cerca de 1h30.

O presidente deixou o local às 11h45 sem falar com a imprensa. Antes da chegada de Bolsonaro —por volta das 10h—, era intenso o movimento de convidados. Além do secretariado, Crivella mobilizou alunos da rede municipal de educação, que fazem parte da Orquestra Sinfônica Juvenil Carioca, para recepcionar Bolsonaro. Em meio a temas de música clássica, os alunos interpretaram o louvor cristão “Aleluia, porque a luta continua”, composto e gravado pelo prefeito do Rio.

Bolsonaro, que em seguida encontrou o comandante da Marinha, almirante de esquadra Ilques Barbosa Junior, também se reuniu com Regina Duarte, convidada para ocupar a Secretaria da Cultura após a demissão de Roberto Alvim.

A reunião com a atriz se deu no aeroporto Santos Dumont, na região central do Rio. Após o encontro, a Secretaria de Comunicação da Presidência da República divulgou nota: “Após conversa produtiva com o presidente Jair Bolsonaro, Regina Duarte estará em Brasília na próxima quarta-feira, 22, para conhecer a Secretaria Nacional de Cultura do governo federal. ‘Estamos noivando’, disse a artista após o encontro ocorrido nesta tarde no Rio de Janeiro”.

Crivella nega ter discutido apoio eleitoral

Após o encontro, o prefeito definiu a ida de Bolsonaro como “uma visita de cortesia” à cidade. Crivella disse ter levado ao presidente demandas nas áreas financeira, de saúde e de infraestrutura do município. Porém, negou ter tratado do apoio à sua candidatura:

“Não falamos de política, nada disso. Tratamos de interesses do povo”, argumentou.

Crivella disse que a presença de lideranças evangélicas reflete a “afinidade com os princípios e valores” de Bolsonaro.

“O presidente tem nos evangélicos um apoio forte. Todos oram pelo presidente”, disse. “Os pastores vieram aqui, de todas as denominações. Tiraram foto com o presidente e fizeram uma oração.”

Fonte: UOL