Drag queen conta história para crianças em biblioteca dos EUA. (Foto: Paolo Quadrini)
Drag queen conta história para crianças em biblioteca dos EUA. (Foto: Paolo Quadrini)

A ‘Drag Queen Story Hour’ (‘Hora da História com Drag Queen’) é anunciada em diversos estados dos EUA como um evento que “captura a imaginação e a brincadeira da infância e dá às crianças modelos glamourosos, positivos e diversificados”.

Tudo faz parte de uma iniciativa de porte nacional com mais de 20 apresentações em todo o país.

Há cerca de um ano, a Biblioteca Pública de Boston permitiu que drag queens vestidas como freiras católicas, chamadas de “Irmãs da Indulgência Perpétua”, lessem histórias para crianças.

Na época, Robert P. George, professor de Princeton, disse à CBN News que é perigoso usar o estado para promover ideias que desafiam ideias normais sobre gênero.

“É uma mensagem sobre o poder”, explicou George. “O grupo em questão, as chamadas ‘Irmãs da Indulgência Perpétua’, está enviando uma mensagem de que elas têm o poder de entrar no domínio público, uma instituição financiada publicamente, creio eu, não uma instituição privada, e para realizar essencialmente um ‘catecismo’ desta nova religião que eles criaram, uma religião de hedonismo, de auto-indulgência (Irmãs de Indulgência Perpétua). Uma religião de libertinagem”.

Em outro evento de leitura, um homem vestido como drag queen encorajou uma criança a se tornar transformista, assim como ele.

“Eu quero ser um super-herói”, disse uma criança em um vídeo do evento.

A drag queen respondeu: “Você pode ser um super-herói drag queen”.

“Insanidade de Gênero”

Elizabeth Johnston, também conhecida como a ‘mamãe ativista’, tem classificado o contexto da promoção da ideologia de gênero, como ‘insanidade de gênero’.

“Mães e filhas fazendo a transição para o sexo oposto juntas”, diz ela em um vídeo publicado em sua página no Facebook. “Temos rapazes entrando em vestiários e banheiros de meninas e drag queens lendo histórias para crianças em bibliotecas públicas, normalizando assim esse comportamento de homens usando saltos altos, uma peruca, um sutiã e grandes quantidades de maquiagem”.

Ela continua: “O que aconteceu com os shows de marionetes e dia do artesanato nas bibliotecas?”

‘Drag Queen Story Hour’ = Inclusão e Diversidade?

Mais de 20 pais levaram seus filhos para o evento de leitura realizado na Biblioteca da Faculdade ‘Tidewater’, em Virginia Beach, no estado da Virgínia, onde o ator conhecido como ‘Gillette Black’, que é assumidamente gay, vestiu-se de sereia e leu três livros como parte do tema “Sob o mar”.

Black diz que ler vestido de drag queen torna o momento mais divertido para as crianças.

“Só para lhes dar algo mais para esperar”, disse Black à CBN News. “A maquiagem, o brilho, vai mantê-los mais afinados e mais dispostos a prestar atenção”.

Funcionários da biblioteca disseram que o programa destaca uma necessidade em sua comunidade.

“A biblioteca tem um plano estratégico e uma grande parte do nosso plano é a inclusão e a diversidade”, explicou Katie Cerqua, gerente de serviços para jovens e famílias do sistema de bibliotecas. “Oferecemos cerca de 8.000 programas para crianças e adultos por ano e só queremos garantir que cobrimos uma ampla variedade de interesses e falamos com todos os membros de nossa comunidade. Então, esse programa se encaixou nesse item de ação estratégica”.

Mas moradores indignados argumentam que o programa prejudicará as crianças.

Sharon Wiles disse: “Eles vão ficar expostos a algo sobre o qual não têm certeza e podem ficar confusos”.

Mas isso não para por aí. A Netflix planeja estrear um programa de super-heróis com temas gays, com travestis chamados “Super Drags”.

A ‘mamãe ativista’ descreve os movimentos culturais de hoje como um momento embaraçoso da história.

“Nós nos tornamos tão abertos que nossos cérebros estão caindo”, disse ela. “Verdade, realidade e ciência realmente não significam nada para a esquerda. As pessoas estão lutando contra sua verdadeira identidade biológica e Hollywood e a mídia estão tentando nos pressionar para celebrar isso”.

Enquanto isso, mais dois eventos da ‘Drag Queen Story Hour’ estão planejados para a Biblioteca de Uso Conjunto da Faculdade Comunitária de Tidewater, em Virginia Beach, em 25 de agosto e 29 de setembro.

Fonte: Guiame