O impacto das drogas na população é um desafio missionário, ecumênico e político, afirmou o diretor de Planejamento do Serviço Evangélico para o Desenvolvimento (Sepade), pastor Juan Sepúlveda, em sua intervenção no Encontro entre o Conselho Nacional para o Controle de Entorpecentes (Conace), da Região Metropolitana, e o mundo cristão, celebrado na Comuna de Puente Alto, na quarta-feira, 5 de dezembro.

O encontro analisou o papel fundamental das igrejas, católica e evangélicas, na prevenção do consumo e tráfico de drogas. Em 2007, o CONACE desenvolveu um processo de visibilização de práticas preventivas que vinculam seu afazer institucional a diferentes atores da sociedade civil, principalmente nos setores mais afetados pelo problema de consumo e tráfico de drogas.

Até pouco tempo atrás, o papel das igrejas como contrapartes na execução de políticas públicas e sua importância espiritual no fortalecimento de fatores de proteção às pessoas, famílias e comunidade foi desprezado.

Com o propósito de gerar um espaço de reflexão sobre esta realidade e suas potencialidades para o desenvolvimento de uma grande “rede preventiva” para a Região Metropolitana, o Conace, em parceria com a Pastoral Nacional de Álcool e Drogas (Panad) e o Vicariato da Esperança Jovem da Igreja Católica, o Sepade e o Escritório de Assuntos Religiosos da Presidência, além de diversas agrupações evangélicas, convocou o Encontro.

Os trabalhos da reunião de Santiago tiveram início com as exposições plenárias do diretor nacional de Panad, padre Sergio Naser; do pastor Juan Sepúlveda e do representante do recém criado Escritório para Assuntos Religiosos da Presidência, Humberto Lagos. O trabalho em grupos procurou elaborar propostas para um “decálogo de boas práticas”, que será publicado por Conace em formato de cartaz. As propostas foram entregues simbolicamente ao padre Sergio Naser e à pastora Juana Albornoz, capelã evangélica do Palácio La Moneda.

Fonte: ALC