Beth Moore é evangelista, autora e se dedica a apoiar vítimas de abuso sexual. (Foto: SBC)
Beth Moore é evangelista, autora e se dedica a apoiar vítimas de abuso sexual. (Foto: SBC)

A autora e evangelista, Beth Moore participou recentemente do quadro “Estudo Bíblico de Ainsley” com o co-apresentador do programa “Fox and Friends”, Ainsley Earhardt.

Enquanto conversava com o grupo de estudo bíblico sobre a superação de traumas que sofreu na infância, Moore compartilhou detalhes sobre sua educação religiosa e sobre ter sido vítima de abuso sexual.

“Tive a grande bênção de ser criada na igreja”, disse Moore. “Três vezes por semana naqueles dias, domingo de manhã, domingo à noite, quarta-feira à noite – no mínimo – estávamos sempre lá”.

“No entanto, minha família estava muito destruída”, acrescentou Moore. “É exatamente nesse tipo de combinação do bom, do ruim e do feio que tudo pode acontecer sob o mesmo teto”.

A evangelista disse que, embora houvesse amor em seu lar na infância, nem tudo estava bem.

“Embora certamente houvesse pessoas que me amavam e atendiam muitas das minhas necessidades … nossa casa era extremamente instável”, disse ela.

“Eu também fui vítima de um abuso sexual na infância em minha própria casa. Não identifico publicamente quem era, mas vou simplesmente dizer que quando alguém que deve ter um papel protetor ao seu redor se torna não o protetor, mas o agressor, não posso dizer como isso vai interferir com você”, acrescentou.

A verdade que liberta

Moore explicou que ela ocultou sua dor até finalmente decidir se libertar.

“Ninguém jamais saberia disso do lado de fora. Mas eu estava absolutamente implodindo. Eu tinha 40 anos quando lhe diria que minha mente estava completamente fora da influência da minha vitimização”, disse ela.

Earhardt perguntou a Moore como ela conseguiu deixar as dores do passado para trás.

“Eu memorizava as escrituras”, disse ela. “Coloquei essas verdades em fichas e levava essas anotações para todo lugar que fosse. Até andando pelo supermercado, repetia essas escrituras várias vezes”.

Propósito

Após superar seus traumas de infância, a evangelista fundou o Ministério ‘Living Proof’ e tornou-se uma defensora dos sobreviventes de abuso sexual.

Em 2016, ela conversou com a CBN News sobre abuso.

“Não afirmo neste artigo falar por todas as mulheres ou meninas que foram abusadas, agredidas ou assediadas, mas gostaria, se pudesse, de falar do que experimentei, vi, ouvi e aprendi, não apenas como vítima, mas também como serva de mulheres há 35 anos “, explicou.

“Os limites em torno da minha vida foram destruídos cedo e por um agressor, devo acrescentar, porque, embora nem todos os abusadores sejam predadores sexuais, todos os predadores sexuais são, de uma maneira ou de outra, abusadores. Não havia nenhum manual ao meu alcance sobre como reconstruir esses limites desintegrados”, acrescentou.

Ela deixou claro que todos têm o direito de dizer não a avanços sexuais indesejados.

Ela concluiu dizendo: “Vamos manter esta verdade diante de nós nestes dias de um mal sempre aparente. Deus é luz e Nele não há trevas. Deus não tem lado sombrio”.

Fonte: Guia-me com informações de CBN News