Deputada Federal Flordelis
Deputada Federal Flordelis

Um depoimento de uma testemunha, colhido pelo Ministério Público do Rio de Janeiro, aponta que a deputada Flordelis (PSD-RJ) ofereceu uma de suas filhas, de maneira sexual, a pastores evangélicos. A denúncia foi apresentada no programa Fantástico, da TV Globo.

Segundo o depoimento da testemunha, colhidos pelo MP estadual e obtidos pelo programa, a deputada e líder evangélica recebeu a visita de pastores pentecostais estrangeiros em casa, e teria oferecido uma de suas filhas adotivas aos líderes religiosos.

As denúncias apresentadas pelo programa, com base nos depoimentos das testemunhas, também apontavam relações sexuais entre o seu então marido, o pastor Anderson Gomes, e uma das filhas afetivas do casal – e uma rotina em casas de swing na capital fluminense.

O programa também apresentou outra denúncia envolvendo a deputada: de que aquele que seria o único filho biológico de Flordelis com Anderson do Carmo foi, na verdade, roubado da mãe biológica e registrado como filho biológico do casal.

O assassinato de Anderson, ocorrido em junho de 2019, foi premeditado pela deputada e por um círculo de filhos mais próximos à deputada, segundo investigação da PM.

O assassinato foi organizado por parte dos 55 filhos biológicos, adotados e afetivos de Flordelis, além de sobrinhos e da própria pastora e deputada. Após tentativas de assassinar Anderson por meio de envenenamento não terem sucesso, o pastor foi assassinado a tiros em sua casa, em Niterói, no Rio de Janeiro.

Para a Divisão de Homicídios da Polícia Militar do Rio de Janeiro, o papel de Flordelis foi central no caso: além de planejar o crime, a deputada financiou a compra da arma e, após o crime, tentou ocultar e alterar provas.

A deputada federal foi eleita para o primeiro mandato em 2018. Ela foi afastada na última sexta-feira (28) da bancada evangélica da Câmara dos Deputados. A mesa diretora da Casa ainda deve decidir de Flordelis deverá enfrentar processo disciplinar no Conselho de Ética, o que pode resultar na perda do seu mandato.

Segundo o Fantástico, o presidente da Câmara, Rodrigo maia (DEM-RJ), afirmou que o Conselho, parado desde o início da pandemia, deve voltar a funcionar esta semana.

Fonte: Congresso em Foco