Crianças em busca de comida.
Crianças em busca de comida.

A realidade da fome é conhecida por milhões de pessoas no mundo. Dados da Organização das Nações Unidas (ONU) publicados no dia 14 de setembro indicam que 19 países estão em grave risco de fome. Em 13 desses 19 países há perseguição aos cristãos. A insegurança alimentar, ou seja, falta de acesso a alimentação básica causa desnutrição, problemas de desenvolvimento infantil, entre outros desafios. As principais causas da fome são o aumento de conflitos, mudanças climáticas e crises econômicas.

O número de países na iminência de fome hoje é dez vezes maior do que há seis anos. O relatório também indica que 970 mil pessoas podem morrer de fome no começo de 2023. A população comum é afetada em países como Afeganistão, Somália e Iêmen, três das cinco nações com situação mais preocupante. Esses três países estão no Top5 da Lista Mundial da Perseguição (LMP) 2022. Nessas nações, os cristãos são ainda mais prejudicados, pois os programas de auxílio são direcionados à maioria religiosa do país e negados aos cristãos apenas pela fé em Jesus.

O Chifre da África (Somália, Etiópia e outros) também inspira grande preocupação. A região conhecida há anos pela crise socioeconômica está ainda mais vulnerável por causa da destruição das colheitas e do gado. A pandemia já havia dificultado a situação de todos, porém, sem tempo para se recuperar, novos problemas agravam a fome nesses países que precisam de ajuda urgente.

Cristãos afetados

Além de Afeganistão, Somália e Iemên, outros cinco países da LMP entraram no mapa da fome recentemente e estão no relatório da ONU: República Democrática do Congo, Sudão, Síria, República Centro-Africana e Paquistão. E três fazem parte da Lista de Países em Observação 2022: Quênia, Sri Lanka e Honduras. Na África, muitas instituições muçulmanas também negam ajuda a cristãos.

Parte do apoio à Igreja Perseguida é levar alimentos aos famintos, no entanto, a necessidade é tão grande que muitos cristãos não são atendidos ou é preciso escolher a situação mais urgente em detrimento de outras. Sem a ajuda dos parceiros locais apoiados pela Portas Abertas muitos sucumbiriam à fome.

Para que essa realidade seja amenizada, é preciso que a igreja brasileira e de outros países livres generosamente envolva-se com a causa da Igreja Perseguida. Cada doação significa que mais cristãos serão socorridos. Conheça melhor o impacto do trabalho da Portas Abertas no Relatório de Impacto 2022.

Fonte: Portas Abertas

Comentários