Frei Bruno morreu vítima do covid-19
Frei Bruno morreu vítima do covid-19

“Ele era uma pessoa muito prestativa, que pensava primeiro no próximo e fazia de tudo para ajudar quem mais precisava”. Assim o frei Eliseu da Silva define o amigo Paulo Fernando de Campos Meneses, conhecido como frei Bruno, 36, mais uma vítima do novo coronavírus, em Jaci (SP), a 468 km de São Paulo.

Frei Bruno morreu na noite de sábado (9), depois de 16 dias internado. Ele foi diagnosticado com covid-19 no dia 23 de abril depois de apresentar sintomas como febre, falta de ar e dor no corpo.

Quatro dias depois, precisou ser intubado e transferido para a UTI (Unidade de Terapia Intensiva) do Hospital de Base, onde seu estado de saúde. Ele não tinha comorbidades como diabetes ou pressão alta. Há três anos, havia feito uma cirurgia bariátrica, mas não tinha problemas de saúde decorrentes do procedimento.

“Frei Bruno era um rapaz que tinha todos os traços de uma pessoa que nasceu para servir a Deus. Ele era preocupado com o próximo, principalmente os menos favorecidos, como os marginalizados e sofredores. Ajudar era uma das coisas que ele mais gostava”, lembra frei Eliseu, que desde janeiro trabalhava na formação de Frei Bruno na Associação e Fraternidade São Francisco de Assis, na Província de Deus de Jaci.

“Ele estava na fase que chamamos de noviço, onde faria seus primeiros votos a Deus. Era um menino que tinha um futuro todo pela frente”, acrescenta.

O frei foi enterrado na manhã de domingo, em Jaci, em uma cerimônia restrita com apenas 10 frades, seguindo as orientações da OMS (Organização Mundial de Saúde).

Trabalho em casa de acolhimento

Foi justamente ajudando o próximo que possivelmente o frei contraiu o coronavírus. Frei Bruno trabalhava na Casa de Cirineu, que acolhe pessoas em situação de rua, em São José do Rio Preto (SP). No local, são oferecidos banho, alimentação e apoio psicológico a essa população.

Noventa testes foram realizados nas pessoas acolhidas no local, sendo que 31 deram positivos para covid-19. Trinta e cinco pessoas que são atendidas em outra casa de apoio do Lar São Francisco de Assis, associação que administra a Casa de Cirineu, também foram diagnosticadas com a doença. Bruno também teve contato com pessoas dessa outra casa de acolhimento.

“A primeira medida que tomamos foi a de isolamento social. Os acolhidos que testaram positivo foram encaminhados para uma casa onde serão acompanhados por médicos e enfermeiros. Já os que testaram negativo foram levados para outro local”, explica o Frei Francisco Belotti, responsável pelo Lar São Francis de Assis, que administra a casa de acolhimento.

“Neste momento, estamos em alerta para tudo o que precisa ser feito para conter o avanço da doença e estamos tomando todas as medidas”, acrescentou.

Devido aos casos positivos, a casa de acolhimento vai passar por esterilização, paredes e chão serão lavados, colchões serão retirados e passarão por limpeza com produtos químicos.

A pequena cidade de Jaci tem apenas 7 mil habitantes e já registra 75 casos positivos de coronavírus, segundo último levantamento divulgado na sexta-feira (8) pela Prefeitura.

Com um caso a cada 93 moradores, é uma das cidades com menos de dez mil habitantes do estado que mais registraram casos da doença até o momento. Os números atualizados da doença no município serão divulgados somente no início da noite.

Fonte: UOL