Igreja vazia
Igreja vazia

Cerca de um quarto dos adultos norte-americanos (24%) afirma que sua fé “se fortaleceu por causa da pandemia de coronavírus”, relata uma pesquisa da Pew Research publicada recentemente.

Além disso, “apenas 2% dizem que sua fé se tornou mais fraca; a maioria diz que sua fé não mudou muito (47%) e, para muitos, a questão não é aplicável porque não era religiosa (26%)”.

“Os americanos que frequentemente oram e frequentam os cultos, e que classificam a religião como muito importante para eles, são muito mais propensos do que outros a dizer que sua fé se fortaleceu como resultado do surto de coronavírus”, aponta a pesquisa.

Segundo a Pew Research, esse sentimento “é relatado principalmente pelos protestantes na tradição historicamente negra (56%)”, enquanto apenas 7% dos judeus experimentaram um fortalecimento de sua fé nas últimas semanas.

Além dos dados sobre o impacto da pandemia na fé da população adulta americana, a Pew Research também relata como as igrejas estão lidando com esta crise, “disponibilizando serviços religiosos remotamente através de plataformas online”.

Embora na maioria dos estados as igrejas possam ser fisicamente abertas, com poucas ou quaisquer limitações, “a grande maioria (91%) diz que sua congregação fechou seus serviços religiosos ao público, apenas 3% responde que sua congregação ainda está mantendo os cultos presenciais”, revela a pesquisa.

“Entre os adultos norte-americanos que relatam frequentar serviços religiosos pelo menos mensalmente, 82% dizem que suas igrejas estão transmitindo ou gravando seus cultos, para que as pessoas possam assisti-los online ou na TV”, acrescenta a Pew Research.

De todas as denominações, os evangélicos são os que mais usam os métodos online para continuar suas atividades na igreja (92%).

Fonte: Guia-me com informações de Evangelical Focus