Xi Jinping, presidente da China
Xi Jinping, presidente da China

O Partido Comunista da China emitiu uma declaração por meio da agência de notícias oficial Xinhua convocando todos os membros do partido a manter os pensamentos do filósofo Karl Marx e do revolucionário Lenin, e a não acreditarem em “fantasmas e espíritos” e no “liberalismo”, de acordo com a agência Reuters.

Isso é considerado outro lembrete de onde o Partido Comunista está colocando suas prioridades. A declaração é claramente sobre o partido permanecer no controle.

Crenças como o cristianismo são vistas como espiãs que ameaçam a lei absoluta do partido. O discurso recente do primeiro-ministro Li Keqiang na apresentação do governo ajustou essa linha de pensamento perfeitamente, quando mencionou como a sinização da religião na China tem que ser defendida.

Enquanto isso, como o jornal Trivium China relatou, o presidente Jinping alegou que a teoria política “Pensamentos de Xi Jinping sobre socialismo com características chinesas para a nova era” é nada menos que o marxismo do século 21.

Nenhum líder de estado até agora ousou ver sua própria teoria política como uma versão atualizada dos pensamentos de Karl Marx.

Até onde a ideologia comunista e o processo de sinização já conseguiu se infiltrar na liderança da igreja foi mostrado no discurso de Xu Xiaohong, líder de um comitê nacional de igrejas protestantes na China.

Em seu discurso ele alega que o Ocidente está usando o cristianismo para influenciar a sociedade chinesa e subverter o poder.

Fonte: Portas Abertas